A GRAMÁTICA NO LD E A PRODUÇÃO TEXTUAL DOS ALUNOS

Aline da Silva Malaquias

Resumo


Sabendo que a visão sociointeracionista tem encontrado respaldo no ensino de produção textual nas aulas de Língua Portuguesa, este artigo tem por objetivo discutir e verificar de que forma o trabalho com a gramática nos livros didáticos do Ensino Médio tem contribuído para que os alunos mobilizem o conhecimento linguístico e construam a textualidade de suas produções. Para tanto, resgatamos reflexões de autores como Geraldi (2006[1984]), Mendonça (2006), Castilho (2010) e Antunes (2007); e selecionamos para nossa discussão analítica o LD Português Linguagens, de Cereja & Magalhães (2005), para o terceiro ano do Ensino Médio. Em consonância com o que nos propomos, focalizamos o eixo Língua: uso e reflexão mais especificamente os capítulos referentes aos períodos compostos, pois acreditamos que esse conteúdo é de suma importância para a concatenação e estruturação de um texto. Buscamos, dessa forma, verificar qual o enfoque utilizado nos exercícios do conteúdo citado para instigar no aluno o uso e a reflexão sugeridos tanto pelo título do eixo, quanto pelas propostas dos Parâmetros Curriculares Nacionais. Verificamos, ao fim das análises, que ainda há a predominância de atividades de cunho classificatório baseadas em uma gramática do tipo prescritivista.


Palavras-chave


gramática - livro didático; textualidade - exercícios

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Litterae - Perspectivas do ensino de línguas e literaturas - ISSN: 2238-1848