“HISTÓRIAS E SONS”: O USO DE ONOMATOPEIAS NO TRABALHO COM AS LINGUAGENS VERBAL E MUSICAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Elis Beatriz de Lima Falcão, Darcy Alcantara Neto, Pedro Ivo Natalli, Marcelo Dutra Coutinho

Resumo


O artigo relata vivências ocorridas no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), mais especificamente no subprojeto Música e em parceria com o Centro de Educação Infantil Criarte/Ufes. As experiências desenvolvidas com crianças de 5 e 6 anos tiveram como proposta a aproximação de duas linguagens, a verbal (leitura e escrita) e a musical a partir de uma perspectiva discursiva e dialógica de linguagem, na qual as crianças se apropriam das mesmas de forma ativa, crítica e criativa, e, portanto, não como um produto acabado, com um fim em si mesmas. Observamos que as concepções de língua, texto e música subsidiadas em Geraldi (2003), Brito (2003) e no Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (1998), contribuíram para que as crianças vivenciassem situações de ensino e aprendizagem em que o texto, entendido como produto de sujeitos sócio-históricos, representasse o papel de articulador entre ambas as linguagens.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.