TERRITORIALIDADE POLÍTICA DO CORPO: uma discussão a partir da performance drag

  • Lucas Bragança Universidade Federal do Espírito Santo

Resumo

Nossos corpos e nosso comportamento social, muitas vezes, são construídos e aprendidos sobre uma base de dicotomias que nos diferenciam e disciplinam, forçando todos a se moldarem e se encaixarem nos ditames sociais. Nesse contexto, um dos poucos indivíduos que quebram esse paradigma são as drag queens, objeto de estudo desta investigação. A pesquisa foi desenvolvida a partir de uma revisão bibliográfica sobre autores que discutem questões sobre o corpo, a performance e o gênero. Trazemos como base, principalmente, as provocações queer no intuito de questionar certos determinismos que legitimam alguns corpos e seus usos em detrimento a outros

Publicado
2019-10-09