Gerando vida em contexto de morte: o exercício materno em situações de militância durante a Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)

  • Jaíza Pollyanna Dias da Cruz Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ingrid Faria Gianordoli-Nascimento Universidade Federal de Minas Gerais
  • Flaviane da Costa Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Thayna Larissa Aguilar dos Santos Universidade Federal de Minas Gerais
  • Bárbara Gonçalves Mendes Universidade Federal de Minas Gerais
  • Janaína Campos de Freitas Universidade Federal de Minas Gerais
  • Débora Barbosa dos Reis Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

DOI: 10.12957/psi.saber.soc.2015.10977

RESUMO: Este trabalho objetiva compreender a experiência de maternidade de mulheres que militaram durante o período da Ditadura Militar no Brasil (1964-1985). Foram realizadas quatro entrevistas com mulheres que estiveram grávidas e conceberam seus filhos no período de militância, durante a clandestinidade, prisão, exílio e pós-soltura. Para a organização e interpretação dos dados, realizamos análise de conteúdo temática. Os resultados e a discussão foram organizados em torno de duas grandes categorias: Maternidade e Militância: compreendendo as tensões entre o individual e o coletivo e Nascendo nos porões da ditadura: gerando vida em um contexto de morte. Apesar de vivenciarem um contexto no qual a morte era um risco proeminente, a maternidade contribuiu para a preservação de suas vidas, não impedindo, porém, que estas mulheres, mesmo grávidas, sofressem torturas físicas, sexuais e psicológicas, além de ameaças em relação à continuidade da gravidez e à permanência de seus filhos junto a si.

Palavras-chave: maternidade; gênero; identidade feminina; militância; ditadura militar no Brasil.

ABSTRACT: This work's aim is to comprehend the maternity experience of women who militated during the period of the military dictatorship in Brazil (1964-1985). Four interviews were carried out with women who were pregnant and gave birth to their children in the period of militancy, during clandestinely, prison, exile and amnesty. For the organization and interpretation of data, we accomplished thematic content analysis. The results and the discussion were organized around two broad categories: Maternity and militancy: understanding the tensions between the individual and the collective; and Being born in the dictatorship basements: creating life in the context of death. Though experiencing a context in which death was a prominent risk, maternity contributed to the preservation of their lives, however, it did not prevent these women, despite being pregnant, from suffering physical, sexual and psychological tortures as well as threats on the continuity of their pregnancy and on the permanence of their children with them.

Keywords: maternity; gender; female identity; militancy; military dictatorship in Brazil.

Biografia do Autor

Jaíza Pollyanna Dias da Cruz, Universidade Federal de Minas Gerais
Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2010). Mestre em Psicologia pelo Programa Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais (2013).
Ingrid Faria Gianordoli-Nascimento, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais e docente do Departamento de Psicologia da mesma universidade. Coordenadora do Núcleo de Pesquisa “Memórias, Representações e Práticas Sociais”.
Flaviane da Costa Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais
Mestre em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMG (2013).
Thayna Larissa Aguilar dos Santos, Universidade Federal de Minas Gerais
Graduanda no curso de Psicologia da UFMG. Bolsista de iniciação científica da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG)
Bárbara Gonçalves Mendes, Universidade Federal de Minas Gerais
Mestranda em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMG, bolsista do CNPq
Janaína Campos de Freitas, Universidade Federal de Minas Gerais
Mestranda em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMG
Débora Barbosa dos Reis, Universidade Federal de Minas Gerais
Graduanda no curso de Psicologia da UFMG
Publicado
2015-07-20
Seção
Estudo Empírico