A saúde entre o minoritário e o global: questões identitárias entre mulheres quilombolas

Renata Patricia Forain de Valentim

Resumo


DOI: 10.12957/psi.saber.soc.2016.18926

RESUMO: Esta pesquisa teve por objetivo, através da técnica dos grupos focais, investigar a relação entre representações, memórias e práticas relativas à saúde e as autodefinições identitárias entre um grupo de mulheres quilombolas. A suposição inicial foi a de que estas memórias e representações funcionariam como um elemento de resistência e cumpririam uma função social, como constituição e posicionamento de formas identitárias frente às formas massificadamente tecnificadas, globais e culturalmente indiferenciadas, que chegaram à região a partir da última metade do século XX. A hipótese, neste caso, seria a de que recordar e resistir se tornariam muito próximos, funcionando como elementos representacionais, frutos de uma composição que precisou ser reconstituída em suas práticas de pertencenimento e de atuação.

Palavras-chave: identidade; comunidades tradicionais; globalização; quilombolas.

ABSTRACT: This research aimed, through the technique of focus groups, to investigate the relationship between representations, memories and practices relating to health and self-definitions of identity among a group of women quilombolas. The initial assumption was that these memories and representations function as an element of strength and fulfill a social function, mainly related to identity issues and their relationship to ways forward technicality, global and culturally undifferentiated, who arrived in the region from the last half of the twentieth century. The hypothesis in this case, would be that the remember and resist become very closed, working as representational elements, fruits of a composition that had to be reconstituted in their practices pertencenimento and action.

Keywords: identity; traditional communities; globalization; quilombolas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.