Método de análise imagética: Cazuza na revista Veja como ícone da Aids na década de 1980 no Brasil

  • Margarida Maria Rocha Bernardes Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Rio de Janeiro - RJ.
  • Fernando Rocha Porto Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Escola de Enfermagem Alfredo Pinto (EEAP), Rio de Janeiro - RJ, Brasil.
  • Érick Igor dos Santos Departamento de Enfermagem de Rio das Ostras, Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio das Ostras - RJ, Brasil.
  • Antonio Marcos Tosoli Gomes Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF), Rio de Janeiro - RJ.

Resumo

RESUMO: Este estudo teve por objetivo demonstrar o uso da análise semiótica em fac-símile como documento de pesquisa e resgate da memória social na temática do HIV/Aids. Utilizou-se uma matriz de análise imagética com quatro itens sobre a capa da revista Veja, de 26 de abril de 1989, com a manchete – “Cazuza - uma vítima da Aids agoniza em praça pública”. Os resultados foram contextualizados à imagem símbolo de uma pandemia, por meio de elementos públicos midiáticos correspondentes à década de 1980 no Brasil. As discussões se relacionaram com a atitude pela qual o artista retratado expressa sua posição na mídia frente a síndrome. A reportagem de capa da Veja 1.077, prestes a completar 26 anos, ainda consta no ranking das matérias mais comentadas da história da revista, podendo servir como instrumento para estudos de memória social. Conclui-se que a análise da matriz é ratificada como ferramenta de pesquisa de memória social e documental imagética, podendo ser utilizada em estudos de representação social.

Palavras-chave: Cazuza; aids-notícia; imagem eidética; representação social; jornalismo.

ABSTRACT: The present study aims to demonstrate the use of semiotic analysis as a research tool in the field of HIV/aids and to draw attention to HIV/Aids in social memory. We used an image analysis matrix with four items on the cover of Veja magazine from the April 26, 1989 that had the following headline: "Cazuza - an AIDS victim agonizes in public". Results were contextualized as a pandemic through midia public elements corresponding to the 1980's in Brazil. The discussion is related to the way the artist expresses his position on the syndrome in the media. The cover story from issue 1,077 of Veja, about to be 26-years-old, still ranks as one of the most talked about in the history of the magazine, which renders it appropriate as a toll in social memory studies. In conclusion, the matrix analyses is confirmed as a tool in social memory and imagetic documental research, and can be used in social representation studies.

Keywords: Cazuza; aids-news; eidetic imagery; social representation; journalism.

 

Biografia do Autor

Margarida Maria Rocha Bernardes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Rio de Janeiro - RJ.

Graduação em Enfermagem e em Ciências Físicas e Biológicas.

Doutora em Enfermagem pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professora do Curso de Graduação em Enfermagem do Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), Rio de Janeiro – RJ, Brasil.

Fernando Rocha Porto, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Escola de Enfermagem Alfredo Pinto (EEAP), Rio de Janeiro - RJ, Brasil.

Graduação em Enfermagem. Doutor em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pós-Doutor em Enfermagem pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro – RJ, Brasil.

Érick Igor dos Santos, Departamento de Enfermagem de Rio das Ostras, Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio das Ostras - RJ, Brasil.
Graduação em Enfermagem e Especialista em Saúde Coletiva. Doutorando em Enfermagem pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professor Assistente do Departamento em Enfermagem da Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio das Ostras – RJ, Brasil.
Antonio Marcos Tosoli Gomes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF), Rio de Janeiro - RJ.

Graduação em Enfermagem. Doutor em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pós-Doutor em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor Titular da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro – RJ, Brasil.

Publicado
2015-12-14
Seção
Artigo Metodológico