Novas páginas de pesquisa em Psicologia Social: o fazer pesquisa na/da internet

  • Flaviane da Costa Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Jaíza Pollyanna Dias da Cruz Rocha Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ingrid Faria Gianordoli Nascimento Universidade Federal de Minas Gerais
  • Luciene Alves Miguez Naiff Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Raphael Ferreira de Ávila Universidade Federal Fluminense

Resumo

RESUMO: As novas tecnologias midiáticas têm revelado formas de comunicação e práticas sociais que desafiam os modos de fazer ciência. O presente estudo explora, de forma inicial, a diversidade de possibilidades de pesquisas em psicologia social compreendendo os recursos virtuais como campo ou objeto de pesquisa. Propomos um mapeamento de produções científicas, a partir do acesso remoto ao portal de periódicos CAPES, tendo sido utilizados na busca, os descritores “social psychology” and internet. Foram encontrados 1042 itens datados entre 1993 e 2016. Os resultados relacionados ao tópico “Social Psychology” totalizaram 289 produções, das quais, analisamos 134 resumos publicados entre 2011 e 2016. As categorias temáticas de maior expressão foram: Comportamento de usuários da internet (26,12%) e Identidade e relações intergrupais (11,94%). Em relação ao método, 17,16% dos estudos relatam o uso de experimentos, 9,70% o uso de surveys e 5,97% questionários. A análise revelou que a maior parte dos estudos (41,79%) compreende a internet como objeto de investigação, não sendo apenas um campo ou instrumento facilitador da execução das pesquisas. Apesar de 36,57% dos trabalhos não situarem a teoria de base, os dados demonstram uma multiplicidade de abordagens teóricas empregadas. Diante da complexidade deste cenário e dos fenômenos nele analisados, desafios teórico-metodológicos se impõem. Consideramos que o detalhamento e descrição do percurso metodológico, o uso da triangulação de métodos e a articulação entre o campo da psicologia social e as teorias da cibercultura, podem potencializar as produções “na” e “da” internet.

Palavras-chave: cibercultura; internet; psicologia social; métodos de pesquisa; mapeamento.

ABSTRACT: New media technologies have revealed forms of communication and social practice that challenge ways of doing science. Firstly, the present study explores the diversity of research possibilities in social psychology regarding virtual resources as a field or research object. We propose mapping the scientific production from the remote access to the portal of the CAPES journals. For this purpose we`ve used key-words descriptors "social psychology" and internet. We found 1042 items that matched the criteria. The years of publication ranged from 1993 to 2016. Results related to the topic "Social Psychology" presented 289 papers, of which we analyzed 134 published abstracts between 2011 and 2016. The categories with the most important themes were: Internet user behavior (26.12%) and identity and inter-group relations (11.94%). In relation to the method, 17.16% of the studies were experimental, 9.70% surveys and 5.97%questionnaires. The majority of studies (41.79%) considered the internet as a research object, and not just a field or instrument facilitating the execution of research. Although 36.57% of the studies did not present the base theory, data demonstrates a multiplicity of theoretical approaches employed. Due to the complexity of this scenario and the phenomena itself, methodological challenges are imposed. We considered that detailing and describing the methodological pathway as well as the use of triangulation of methods and articulation between the field of social psychology and theories of cyberculture can stimulate, productions "on" and "from" the internet (that is, using the internet as a research field as well as a research tool).

Keywords: cyberculture; internet; social psychology; research methods; mapping.

Biografia do Autor

Flaviane da Costa Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Psicologia (UFMG). Doutoranda em Psicologia pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais. Bolsista pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - Belo Horizonte, MG, Brasil.

Jaíza Pollyanna Dias da Cruz Rocha, Universidade Federal de Minas Gerais
Mestre em Psicologia (UFMG). Doutoranda em Psicologia pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais. Bolsista pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG, 2016-2018) e pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES, 2018) - Belo Horizonte, MG, Brasil.
Ingrid Faria Gianordoli Nascimento, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora em Psicologia (UFES); Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia e do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais. Financiamento FAPEMIG PPM-00636-16 - Belo Horizonte, MG, Brasil.
Luciene Alves Miguez Naiff, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Doutora em Psicologia (UERJ) e Pós-doutora em Psicologia Social pela Universidade de Lisboa. Docente da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) - Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Raphael Ferreira de Ávila, Universidade Federal Fluminense
Doutorando da Universidade Federal Fluminense. Mestre em Psicologia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) – Seropédica, RJ, Brasil.
Publicado
2018-04-24
Seção
Seção especial – ADEPS