Barbies humanas: entre os limites do humano e não humano

  • Cristina Oliveira dos Santos

Resumo

O artigo propõe uma reflexão sobre a nova geração de mulheres bonecas, especialmente as barbies humanas, que se espelham na criação de uma identidade corporal baseada na boneca  infantil Barbie, criada pela companhia norte-americana Mattel. O culto ao corpo apresenta  novos padrões e dicotomias ao abordar os limites do humano e não-humano em que vivem essas mulheres, cuja associação com à boneca Barbie pode ter sido proporcionada pelos tempos digitais. Para melhor expor esse novo reflexo da realidade contemporânea, serão abordados, entre outros autores, os conceitos dos teóricos Foucault, Latour e Haraway. O estudo etnográfico foi baseado numa análise de material disponível sobre o tema na internet.

Publicado
2015-03-04
Seção
GT2 - Urbanidades: Identidades, modos de vida, conflitos urbanos e violências