“Guerra Revolucionária”: O anticomunismo de Bilac Pinto e o golpe de 1964

Marco Túlio Antunes Gomes

Resumo


Em julho de 1964, meses após o golpe que destituiu o presidente João Goulart, a editora guanabarense Companhia Forense de Artes Gráficas publicou uma coletânea de discursos do deputado federal mineiro Olavo Bilac Pinto, intitulada Guerra Revolucionária. O referido parlamentar, então presidente da União Democrática Nacional (UDN), desempenhou papel de destaque na oposição, ávido em suas denúncias contra uma suposta comunização em curso no país, elemento chave de sua retórica nos anos finais do governo João Goulart. Se desde o segundo governo Vargas (1951-1954) Bilac Pinto se mostrara ativo elemento oposicionista ao integrar a chamada “Banda de Música” na Câmara Federal, é a partir de 1963 que obtém projeção nacional, quando seus discursos repercutem na grande imprensa liberal e na Caserna. A comunicação propõe uma análise das declarações proferidas por Bilac Pinto nos dois últimos anos da Terceira República, com destaque para o teor anticomunista de seus discursos e o papel desempenhado pelo udenista para o agravamento da crise política no período.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.