A MOBILIDADE E O CRESCIMENTO URBANO DE FEIRA DE SANTANA – BA: A INSERÇÃO DO BUS RAPID TRANSIT (BRT)

  • Ákila Soares de Britto Universidade Estadual de Feira de Santana

Resumo

A análise da Mobilidade e do Crescimento Urbano em Feira de Santana, parte do objetivo principal, explicar a relação das vias que formam o principal entroncamento rodoviário do Norte/Nordeste e a modelagem que exerce na forma do crescimento urbano, juntamente com o mapeamento dos bairros do perímetro urbano atendidos pelo sistema viário. Para isso foi feito um estudo prévio com dados coletados em gabinete, referentes ao uso e ocupação do solo, planos de desenvolvimento urbano municipal, projetos de ordenamento territorial, mobilidade urbana entre outros. Sendo claro que o crescimento urbano de Feira de Santana além de ser influenciado pela implantação dos empreendimentos imobiliários, segue crescendo entorno das principais vias de acesso, concedendo uma forma de crescimento estrelar.

Referências

AGKF – Engenharia e Consultoria. LTDA, Plano Municipal de Mobilidade Urbana. Prefeitura Municipal de Feira de Santana, Feira de Santana-BA. 2018.

ANTÓN, Rafael RB; MEDEIROS, Camila AGM; SANTOS, Fábio D. O TRANSPORTE RODOVIÁRIO COMO AGENTE DA DESCENTRALIZAÇÃO DE FEIRA DE SANTANA, II Simpósio de Estudos Urbanos – SEURB, Paraná, 2013.

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE FEIRA DE SANTANA. Feira de Santana: CDL, v.3, 2012, p.602,

BRASIL, Governo do. Planmob Caderno de referência para elaboração de plano de mobilidade urbana. Ministério das Cidades, Brasília, 2007.

______, M. C.; BRASIL. Política Nacional de Mobilidade Urbana Sustentável. Princípios e diretrizes aprovadas, Caderno 6, 2004.

BRASIL; BRASIL. Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos Decretos-Leis nos 3.326, de 3 de junho de 1941, e 5.405, de 13 de abril de 1943, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e das Leis nos 5.917, de 10 de setembro de 1973, e 6.261, de 14 de novembro de 1975; e dá outras providências. Diário Oficial da União, 2012.

______; BRASIL. Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro. Diário Oficial da União, 1997.

CAMPOS, Vânia Barcellos Gouvêa. Uma visão da mobilidade urbana sustentável. Revista dos Transportes Públicos, v. 2, p. 99-106, 2006.

CIDADE, Lúcia Cony F. et al. Elaboração de subsídios técnicos e documento base para a definição da Política Nacional de Ordenação do Território–PNOT. Relatório Técnico 1.3. Políticas de ordenação do território: a contribuição de experiências nacionais e internacionais. Brasília: CDS/Unb, 2006.

CORRÊA, Roberto Lobato et al. O espaço urbano. Ática, 1989.

COSTA, Eduarda Marques. Cidades médias-Contributos para a sua definição. Finisterra, v. 37, n. 74, 2002.

COSTA, Marcela da Silva. Mobilidade urbana sustentável: um estudo comparativo e as bases de um sistema de gestão para Brasil e Portugal. EESC/USP. São Paulo, 2003.

______, Marcela da Silva. Um índice de mobilidade urbana sustentável, São Carlos, 2008

DA CUNHA, Erika Jorge Rodrigues. A natureza do espaço urbano: formação e transformação de territórios na cidade contemporânea. 2008.

DA EUROPA, Conselho. Carta Europeia do Ordenamento do Território. 1983

DE ALMEIDA, Paulo Roberto. A experiência brasileira em planejamento econômico: uma síntese histórica. 2004.

DE PLANEJAMENTO, Coordenação-Geral; TERRITORIAL-CGTP, Gestão. Subsídios para a definição da Política Nacional de Ordenação do Território–PNOT (Versão preliminar).

DOS SANTOS, Cilícia Dias. A formação e produção do espaço urbano: discussões preliminares acerca da importância das cidades médias para o crescimento da rede urbana brasileira. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 5, n. 1, 2009.

EDUARDO, Márcio Freitas. Território, trabalho e poder: por uma geografia relacional. Campo-Território: revista de geografia agrária, v. 1, n. 2, 2006.

FEIRA DE SANTANA. Elaboração do Plano Diretor de Desenvolvimento Municipal de Feira de Santana (PDDM). Prefeitura Municipal de Feira de Santana, 2013.

___________________. Projeto de Lei, Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Feira de Santana (PDDU). Câmara de Vereadores de Feira de Santana, 2018

___________________. Lei Complementar nº 098, de 27 de agosto de 2015, Acrescenta ao Capítulo V – Restrições de Uso e Ocupação Zonais, Artigo 23, Parágrafos 1º e 2º, da Lei Complementar nº 086, de 24 de setembro de 2014, novo Grupo de Atividades e dá outras providências. Diário Oficial Eletrônico, ano I, edição 61. Feira de Santana, BA, 2015, p 1.

___________________. Lei Complementar nº 112, de 05 de abril de 2018, Institui o Plano de Mobilidade de Feira de Santana, estabelecendo os princípios e diretrizes para a integração entre os modos de transporte e para a melhoria da acessibilidade e mobilidade das pessoas e cargas no Município e dá outras providências. Diário Oficial Eletrônico, ano IV, edição 710. Feira de Santana, BA, 2018, p 23-32.

___________________. Lei Complementar nº 18 de 08 de julho 2004, define o perímetro urbano, delimita os bairros da cidade de Feira de Santana e dá outras providências. Leis Municipais, 2004.

___________________. Lei Complementar nº 75 de 20 de junho 2013, fixa os limites interdistritais, amplia o perímetro urbano e delimita 06 (seis) novos bairros do distrito sede do município de Feira de Santana e dá outras providências. Leis Municipais, 2013.

___________________. Lei Complementar nº 86 de 24 de setembro 2014, altera, modifica, amplia e dá nova redação à lei nº 1615/92, que institui a lei do ordenamento do uso e da ocupação do solo na área urbana do município de Feira de Santana e revoga a lei complementar nº 46, de 19 de agosto de 2010, que dispõe sobre o sistema viário das áreas de expansão urbana da cidade de Feira de Santana. Leis Municipais, 2014.

FREIRE SANTORO, Paula; NOGUEIRA LEMOS, Patricia; BONDUKI, Nabil. Cidades que crescem horizontalmente: o ordenamento territorial justo da mudança de uso rural para urbano. Cadernos Metrópole, v. 12, n. 24, 2010.

FREITAS, Nacelice Barbosa. O Descoroamento da Princesa do Sertão: de “chão” a território, O “vazio” no processo da valorização do espaço. São Cristóvão: Universidade Federal de Sergipe/UFS - Núcleo de Pós-graduação em Geografia/NPG. 2013.

GOMES, Patrícia Morais et al. Transporte e reprodução do espaço: o papel da estrada de ferro central do Brasil na dinâmica do espaço urbano de Santos Dumont. 2013.

GOMIDE, Alexandre de Ávila. Mobilidade urbana, iniqüidade e políticas sociais. 2006.

GOTTMANN, Jean. A evolução do conceito de território. Boletim Campineiro de Geografia, v. 2, n. 3, p. 523-545, 2012.

HAESBAERT, Rogério. Ordenamento territorial. Boletim Goiano de Geografia, v. 26, n. 1, p. 117-124, 2006.

MAGAGNIN, Renata Cardoso; SILVA, Antônio Nélson Rodrigues da. A percepção do especialista sobre o tema mobilidade urbana. Revista Transportes, v. 16, n. 1, p. 25-35, 2008.

MEDEIROS, Rosa Maria Vieira. Território, espaço de identidade. Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MIGLIORINI, Sônia Mar dos Santos. ORDENAMENTO TERRITORIAL E INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES: UMA CORRELAÇÃO ENTRE O PLANEJAMENTO ECONÔMICO E A EXPANSÃO DA MALHA RODOVIÁRIA NO BRASIL. VII Seminário Estadual de Estudos Territoriais – SEET, II Jornada de Pesquisa sobre Gestão Agrária no Paraná, Ponta Grossa-PR, 2014

NETO, Agripino Souza Coelho. Componentes definidores do conceito de território: a multiescalaridade, a multidimensionalidade e a relação espaço-poder. GEOgraphia, v. 15, n. 29, p. 23-52, 2013.

POLETTO, Emílio Rafael. Ordenamento territorial no Brasil e a promoção do desenvolvimento local: uma aproximação geográfica. Ágora, v. 14, n. 1, p. 49-72.

RÜCKERT, Aldomar A. A Política Nacional de Ordenamento Territorial, Brasil. Uma política territorial contemporânea em construção. Scripta Nova. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, v. 11, 2007.

SACK, Robert David. Territorialidade Humana: sua teoria e história. Cambridge University, 1986.

SANTO, Sandra Medeiros et al. Planejamento urbano de Feira de Santana (BA): comparação entre os planos diretores de 1968 e 2000. Revista Geográfica de América Central, v. 2, p. 1-17, 2011.

SANTOS, Bethsaide Souza. Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados. urbBA. 2011

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 4. ed. 2. reimpr. 2006.

_______, Milton. Técnica, espaço, tempo. São Paulo: Hucitec, v. 3, 1994.

SOARES, Carlos Manuel. Sistemas de transporte e a articulação com o ordenamento do território. 2010. Dissertação de Mestrado. Universidade de Aveiro.

SOUZA FILHO, José Rodrigues de. Transporte rodoviário de passageiros e a organização espacial no estado da Bahia. 2016.

XAVIER, Sinval Cantarelli; BASTOS, Cezar Augusto Burkert. Estudo do crescimento urbano aplicado ao mapeamento geotécnico: uma metodologia de análise. 2010.

ZORZO, Francisco Antônio. A Modernização dos Transportes, Fluxos Mercantis e Crescimento de Feira de Santana (Séculos XIX e XX). ANPUH – XXIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – Londrina, 2005.

______, Francisco Antônio. Retornando à história da rede viária baiana: o estudo dos efeitos do desenvolvimento ferroviário na expansão da rede rodoviária da Bahia (1850-1950). Sitientibus, Feira de Santana, n. 22, p. 99-115, 2000.

Publicado
2019-12-01
Seção
GT-5: Mobilidade, migração e espaço urbano