O GRANDE CAPITAL BRASILEIRO E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO NA AMÉRICA LATINA: O AVANÇO DA ODEBRECHT SOBRE O URBANO E A REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA RECENTE

  • Cristina Wehba Faculdade de arquitetura e urbanismo da Universidade de São Paulo - FAUUSP

Resumo

Este artigo discute o movimento do grande capital da construção civil brasileira em direção aos grandes projetos de reestruturação urbana que se espalham pelas cidades latino-americanas no início do século XXI, tomando como objeto de análise a produção da Odebrecht como executora de obras públicas - na condição tradicional de empreiteira - em articulação com um campo de atuação que se amplia para a área da incorporação imobiliária, investimentos em ativos imobiliários, concessões públicas de infraestruturas e operação de serviços urbanos - na condição de grupo econômico - no período de recente expansão da economia. Problematiza, ainda, se a queda dos indicadores econômicos e o início da operação Lava Jato, a partir de 2014, representariam uma reestruturação das condições gerais de produção do espaço urbano no sentido de um domínio mais direto do capital estrangeiro sobre a produção do espaço na região.

Biografia do Autor

Cristina Wehba, Faculdade de arquitetura e urbanismo da Universidade de São Paulo - FAUUSP
Doutoranda na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP) na área do Planejamento Urbano e Regional. Mestre pela mesma instituição, realizou pesquisa com apoio da CAPES sobre as relações entre produção imobiliária e a cidade. Graduou-se em Arquitetura e Urbanismo na Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP, em São Paulo, e cursou pós-graduação Lato Sensu em Barcelona, no programa multidisciplinar Metropolis - Master Program in Architectural and Urban Culture, da Universidade Politécnica da Catalunha, Espanha. Foi bolsista de treinamento técnico FAPESP na pesquisa "Incorporação imobiliária e metropolização: centralização do capital na produção do espaço em São Paulo" e atualmente é membro da pesquisa "Quando empreiteiras tornam-se incorporadoras: produção imobiliária e de infraestruturas na transformação da metrópole de São Paulo do século XXI", em desenvolvimento na FAU USP com apoio do CNPq. Tem experiência em docência no ensino superior, realizando o Programa de Aperfeiçoamento de Ensino (PAE) da USP, onde atuou como auxiliar em docência na disciplina de Planejamento Urbano I - Introdução, na FAU USP.

Referências

BOITO JR., Armando; BERRINGER, Tatiana. Brasil: classes sociais, neodesenvolvimentismo e política externa nos governos Lula e Dilma. Rev. Sociol. Polit. [online]. 2013, vol.21, n.47, pp.31-38.

BOITO JR., Armando. A corrupção como ideologia. Miolo, Revista Critica Marxista, 44. 09/02/2017

BOTELHO, Adriano. O Urbano em fragmentos: a produção do espaço e da moradia pelas práticas do setor imobiliário. São Paulo: Annablume; Fapesp, 2007.

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. A formação do grande capital brasileiro no setor da indústria de construção: resultados preliminares de um estudo sobre causas e origens. Trabalho necessário, UFF, 2009.

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Estranhas Catedrais. As empreiteiras brasileiras e a ditadura civil-militar, 1964-1988. Niteroi, RJ: Eduff, 2015.

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Os efeitos da crise econômica e da operação Lava jato sobre a indústria da construção pesada no Brasil: falências, desnacionalização e desestruturação produtiva. Mediações, Londrina, V. 24 N. 1, P.127-153, JAN.-ABR. 2019. DOI: 10.5433/2176-6665.2019.1v24n1p127

CHESNAIS, François. Introdução. In: CHESNAIS, F. (org.) A finança mundializada: raízes sociais e políticas, configurações, consequências. São Paulo: Boitempo, 2005.

COMEX DO BRASIL. Disponível em https://www.comexdobrasil.com/odebrecht-passa-jbs-e-torna-se-a-empresa-brasileira-com-maior-indice-de-internacionizacao/, acessado em 05/06/2019.

ESTADO DE SÃO PAULO. Acessado em 07/06/2019 e disponível em https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,interesse-chines-anima-empreiteiras,70002169160

FIX, Mariana. Financeirização e transformações recentes no circuito imobiliário no Brasil. Tese de Doutorado. Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2011.

FUENTES, Ariel Rodolfo. Cuestiones urbanas y regionales en Argentina. Procesos y prácticas en la ciudad contemporánea. Territorios en construcción. VII Jornadas de Sociología de la Universidad Nacional de La Plata. La Plata, 5 al 7 de diciembre de 2012. http://jornadassociologia.fahce.unlp.edu.ar

GOES, Fernanda Lira. Financiamento do BNDES para obras e serviços de empresas brasileiras no exterior. Instituto de Pesquisa econômica aplicada (IPEA). Brasília, 2017.

HARVEY, David. O Capital Reunido. In: Harvey, D. O Enigma do Capital e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2001.

LESSA, Carlos; DAIN, Sulamis. Capitalismo Associado: Algumas Referências para o tema Estado e Desenvolvimento. In: BELLUZZO, Luiz G.; COUTINHO, Renata (Ed.). Desenvolvimento Capitalista no Brasil: Ensaios sobre a Crise. São Paulo: Brasiliense, 1983.

O EMPREITEIRO. Julho de 2010. Acessado em 15/04/2019 e disponível em: http://revistaoe.com.br/odebrecht-e-lider-do-setor-de-construcao-na-argentina/

ODEBRECHT. Relatórios a investidores. Disponível em https://www.odebrecht.com/pt-br/a-odebrecht/relatorios-anuais acessado em 13/06/2019.

OLIVEIRA, Francisco. Hegemonia às Avessas: economia, política e cultura na era da servidão financeira. São Paulo: Boitempo, 2010.

PAULANI, Leda. A experiência brasileira entre 2003 e 2014: Neodesenvolvimentismo? CADERNOS do DESENVOLVIMENTO, Rio de Janeiro, v. 12, n. 20, pp. 135-155, jan.-jun. 2017.

PAULANI, Leda. Brasil Delivery. São Paulo: Boitempo, 2008.

PIREZ, Pedro. Las heterogéneas formas de producción y consumo de la urbanización latinoamericana. Espacio Aberto, nº 16, Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, BA: 2016.

PORTAL G1. Acessado em 07/06/2019 e disponível em https://g1.globo.com/economia/noticia/quem-e-a-brookfield-a-empresa-canadense-que-investiu-quase-r-27-bilhoes-no-brasil-em-5-anos.ghtml

REVISTA EXAME. “Gávea vira sócia da Odebrecht no mercado imobiliário”, disponível em http://exame.abril.com.br/negocios/gavea-vira-socia-odebrecht-mercado-imobiliario acessado em 05/06/2019.

ROCHA, Marco Antonio Martins da. Grupos Econômicos e Capital Financeiro: Uma História Recente do Grande Capital Brasileiro. Tese de doutorado. Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (UNIVAMP), 2013.

RUFINO, Maria Beatriz Cruz. A incorporação da metrópole: centralização do capital no imobiliário e nova produção do espaço e m Fortaleza. Tese de Doutorado. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

RUFINO, Maria Beatriz Cruz. Public-private partnerships and their implications for inclusive urbanisation in Brazil. Regions, 303, 2016.

SILVA FILHO, José Humberto. A internacionalização da Odebrecht no capitalismo dependente brasileiro. Mestrado em sociologia, Universidade Federal de Alagoas, Instituto de ciências sociais, Maceió, 2017.

Valor Econômico, 06/2016. "TCU avalia financiamentos do BNDES no exterior" acessado em 05/06/2019. Disponível em https://www.valor.com.br/brasil/4586055/tcu-avalia-financiamentos-do-bndes-no-exterior

WEHBA, Cristina. Novas Relações de Produção Imobiliária na Metrópole do Século XXI: Odebrecht, Água Espraiada e o Parque da Cidade em São Paulo. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

Publicado
2019-11-26
Seção
GT-1: Reestruturação urbana e econômica na produção do espaço: agentes e process