MOBILIDADE PENDULAR E DESLOCAMENTOS CASA-TRABALHO NA METRÓPOLE: DIMENSÕES ESPACIAIS E TEMPORAIS

  • Érica Tavares Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Jéssica Monteiro da Silva Tavares Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Resumo

Os movimentos para trabalho na metrópole apresentam um conjunto de potencialidades e desafios para pensar o processo de mobilidade espacial na complexa relação espaço-tempo nas cidades. O objetivo é analisar as diferenças no tempo de deslocamento dos trabalhadores metropolitanos entre aqueles que trabalham no próprio município em que residem e aqueles que se deslocam para além das fronteiras espaciais dos limites político-administrativos, segundo os fluxos realizados na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Além disso, para avançar na problematização sobre as escolhas ou constrangimentos ao romper fronteiras espaciais e temporais ou ao encontrar-se em situação de imobilidade, o trabalho busca qualificar esses grupos populacionais segundo o próprio tempo de deslocamento, a inserção ocupacional e as condições de rendimento.

Biografia do Autor

Érica Tavares, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Professora Adjunta no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal Fluminense (UFF) em Campos dos Goytacazes. Pesquisadora do INCT Observatório das Metrópoles (IPPUR/UFRJ) e do Núcleo de Pesquisas e Estudos Socioambientais (NESA/UFF Campos). Doutora em Planejamento Urbano e Regional pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR/UFRJ-2012); Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisa Social pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE/IBGE-2006) e Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (CCH/UENF-2004). 

Jéssica Monteiro da Silva Tavares, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Licenciada em Geografia pelo Instituto Federal Fluminense

Mestre em geografia pela Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Professora de geografia.

Referências

BAENINGER, Rosana. Migrações internas no Brasil século 21: evidências empíricas e desafios conceituais. In: CUNHA, J. M. P. (Org.) Mobilidade espacial da população: desafios teóricos e metodológicos para o seu estudo. Campinas: Núcleo de Estudos de População-Nepo/Unicamp, 2011. p. 71-93.

BARBOSA, Jorge Luiz. O Significado da Mobilidade na Construção Democrática da Cidade. In: BALBIM, R., KRAUSE, C., LINKE, C. C (Org.) Cidade e movimento: mobilidades e interações no desenvolvimento urbano. Brasília: Ipea: ITDP, 2016. p. 43-56.

CASTELLS, Manuel. A Questão Urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

CINTRA, Anael; DELGADO, Paulo; MOURA, Rosa. Deslocamentos intermunicipais para trabalho e estudo – Curitiba. IPARDES. Comunicado para o Planejamento. n. 21, 2012. p.1-10.

CORRÊA, Roberto Lobato. Processos, Formas e Interações Espaciais. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 61, n. 1, 2016, p. 127-134.

COURGEAU, Daniel. Méthodes de Mesure de la Mobilité Spatiale: migrations internes, mobilité temporaire, navettes. Paris: Éditions de L’Institut National d’Études Démographiques, 1988. 306 p.

COURGEAU, D.; LELIËVE, E. Individual and Social motivations for migration. In: Demography: analysis and synthesis: Elsevier, 2006. p.345-357.

CUNHA, José Marcos Pinto da (Org.). Mobilidade espacial da população: desafios teóricos e metodológicos para o seu estudo. Campinas: Núcleo de Estudos de População-Nepo/Unicamp, 2011.

DI MÉO, G. De l’espace subjectif à l’espace objectif: l’itinéraire du labyrinthe. L’Espace Géographique, n. 4, 1990, p. 359-373.

DOTA, E. A dimensão territorial para estudos de mobilidade residencial e migração: algumas evidências. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2018. (mimeo).

HARVEY, David. A justiça social e a cidade. São Paulo: HUCITEC, 1980 (1973).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Sinopse do Censo Demográfico de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual do Recenseador: Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010a. Disponível em <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/instrumentos_de_coleta/doc2374.pdf>. Acesso em: 08 jan. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Temáticas - Censo 2020. 2019. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/media/com_mediaibge/arquivos/fa76b81a7089b4f92d2af2b04394f12f.pdf>. Acesso em 10 jun. 2019.

LAGO, Luciana Correa. O mercado de trabalho na metrópole do Rio de Janeiro: a ‘periferia’ que virou ‘centro’. In: Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 16, 2008, Caxambu. Anais... Belo Horizonte: ABEP, 2008.

LIMA, W. de M. Novas mobilidades, espaço de vida e desempenho escolar: o caso dos estudantes de ensino médio no município de Natal – RN. 2015. 107 f. Dissertação (Mestrado em Demografia) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, 2015.

MARANDOLA JR., Eduardo. Cidades médias em contexto metropolitano: hierarquias e mobilidades nas formas urbanas. In: BAENINGER, R. (Org.). População e Cidades: subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Núcleo de Estudos de População-Nepo/Unicamp, Brasília: UNFPA, 2010.

OJIMA, Ricardo; MONTEIRO, Felipe Ferreira; NASCIMENTO, Tiago Carlos Lima. Deslocamentos Pendulares e o Consumo do Espaço: explorando o tempo de deslocamento casa-trabalho. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, v.36, n.128, 2015, p.133-147.

PEREIRA, R.H.M.; SCHWANEN, T. Tempo de deslocamento casa-trabalho no Brasil: (1992-2009): diferenças entre regiões metropolitanas, níveis de renda e sexo. Brasília: IPEA, 2013. (Texto para discussão).

PRETECEILLE, Edmond; RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz. Tendências da segregação social em metrópoles globais e desiguais: Paris e Rio de Janeiro nos anos 80. Santiago de Chile, Revista EURE, v.25, n.76, 1999.

RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz; LAGO, Luciana. O Espaço Social das Grandes Metrópoles Brasileiras. In: Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, 2000, vol. 2, nº 3, p. 111-129.

RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz; RODRIGUES, Juciano Martins. Da crise da mobilidade ao apagão urbano. Boletim Semanal do Observatório das Metrópoles, 15/06/2011. Disponível em: <http://www.observatoriodasmetropoles.net>. Acesso em: 10 jun. 2019.

RIBEIRO, L. C. Q.; MOURA, R.; DELGADO, P.; TAVARES, E. Integração dos Municípios Brasileiros à Dinâmica da Metropolização. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2014, v.100. p.118.

ROBETTE, Nicolas. Les espaces de vie individuels: de la géographie à une application empirique en démographie. Cybergeo: Revue européenne de géographie / European journal of geography, Géographie-cités, 2012, p.1-22.

SANTOS, M. Metamorfoses do Espaço Habitado: Fundamentos Teóricos e metodológicos da geografia. 6. ed. 2. reimp. São Paulo: EDUSP, 2014.

SILVA, E. T. Estrutura urbana e mobilidade espacial nas metrópoles. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2012.

URRY, John. Mobilities. Cambridge, UK: Polity, 2007.

Publicado
2019-12-02
Seção
GT-5: Mobilidade, migração e espaço urbano