A ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO E REGIONAL A PARTIR DE GRANDES PROJETOS DE “HIDRÁULICA DE SOLUÇÃO”: O CASO DA TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO (2007-2017)

Resumo

RESUMO: O trabalho propõe identificar alguns dos impactos e tendências que as obras de “hidráulica de solução” têm promovido, em período recente, na estruturação do espaço urbano e regional no semiárido brasileiro, em especial àquelas referentes ao Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias do Nordeste Setentrional (PISF), propondo como recorte da pesquisa o Eixo Norte de tal projeto, em especial a região de Salgueiro e entorno, no sertão pernambucano.

Biografia do Autor

André Paiva Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da PUC de Campinas. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior,CAPES, Modalidade II.

Vera Santana Luz, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Professora Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da PUCCamp.

Referências

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Relatório de impacto ambiental do projeto de integração do rio São Francisco com bacias hidrográficas do nordeste setentrional. Brasília, DF, 2004.

_____. Ministério da Integração. Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido. Ministério da Integração Nacional. Agência de desenvolvimento do Nordeste. IICA – Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, Recife, abril de 2005b.

_____. Ministério da Integração. Programa de Indenização de Terras e Benfeitorias (PBA-7). Ministério da Integração Nacional. Brasília, DF, 2005c.

_____. Ministério da Integração. Programa de Reassentamento de Populações (PBA-8). Ministério da Integração Nacional. Brasília, DF, 2005d.

_____. Ministério da Integração. Programa de Regularização Fundiária nas Áreas do Entorno (PBA-19). Ministério da Integração Nacional. Brasília, DF, 2005e.

_____. Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. São Francisco Sustentável. Brasília, DF, 2008.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Informações sobre o Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF). Disponível em: <http://www.integracao.gov.br/saofrancisco/integracao.index.aps> Acesso em: 15 fev. 2017.

BRESSER-PEREIRA, Luiz C. Teoria novo-desenvolvimentista: uma síntese. In: Cadernos do Desenvolvimento. Rio de Janeiro, v.11, n.19, 2016, p. 145-165.

CAMPOS, José Nilson B. Secas e políticas públicas no semiárido: ideias, pensadores e períodos. In: Estudos Avançados. São Paulo, v. 28, n. 82, 2014.

ELIAS, Denise. Globalização e fragmentação do espaço agrícola do Brasil. Scripta Nova, Bracelona, vol. x, 2006, p. 59-81.

_____. Agronegócio globalizado e (re)estruturação urbano-regional. XVII ENANPUR. São Paulo (SP), 2017.

GUDYNAS, E. O novo extrativismo progressista na América do Sul: teses sobre um velho problema sob novas expressões. In: LÉNA, Philippe; NASCIMENTO, Elimar Pinheiro do. Enfrentando os limites do crescimento: sustentabilidade, decrescimento e prosperidade. Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

GUERREIRO, Isadora de Andrade. A produção do espaço urbano pelo Lulismo: contradições específicas da dependência. XVII ENANPUR. São Paulo (SP), 2017.

NUNES, Pedro Paulo de Lavor. Transposição do rio São Francisco. A Funcionalidade do Estado Capitalista no Simulacro das Políticas de Reordenamentos Territoriais. São Cristóvão, SE: Universidade Federal de Sergipe, 2014.

OLIVEIRA, Ariovalo U. Barbárie e modernidade: as transformações no campo e o agronegócio no Brasil. In: STEDILE, João Pedro (org). A questão agrária no Brasil. O debate NA DÉCADA DE 2000. Vol. 7. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

OLIVEIRA, Marcos de Jesus. Lulismo: um inventário (pretensamente) crítico. Anais da XII Edição das Jornadas Bolivarianas, Florianópolis, 2016. Disponível em: Acesso: 20.08.2017

PEQUENO, Renato e ELIAS, Denise. (RE)Estruturação urbana e desigualdades sócioespaciais em região e cidade do agronegócio. In: GEOgraphia, ano 17, n. 35, 2015 (p. 10-39).

PERNAMBUCO. Agência de Planejamento e Pesquisa do Estado de Pernambuco – CONDEPE/FIDEM. Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Município de Salgueiro e seu Entorno. Recife, 2017.

RODRIGUES, Arlete Moysés. Os Impactos Socioambientais da transposição do rio São Francisco. Terra Azul, 2005. Disponível em: <http://www.terrazul.m2014.net/spip.php?article200> Acesso: 14.12.2016

SANTANA FILHO, João Reis. A Integração de Bacias sob a ótica do Desenvolvimento Regional. O Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias do Nordeste Setentrional. In: Boletim Regional. Informativo da Política Nacional de Desenvolvimento. Brasília: Ministério da Integração Nacional. Secretaria de Políticas de Desenvolvimento Regional, nº 5, 2007, p. 12-22.

SANTOS, Milton. Técnica, Espaço, Tempo. Globalização e meio técnico científico informacional. 4° ed. São Paulo: Hucitec, 1998.

_____. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

_____. A urbanização brasileira. 5º ed. São Paulo: Edusp, 2013.

SANTOS, Milton e SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil. Território e sociedade no início do século XXI. 2º ed. São Paulo: Record, 2001.

SINGER, André. Os sentidos do Lulismo: reforma gradual e pacto conservador. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

VAINER, Carlos B. e ARAÚJO, Frederico G. B. de. Grandes projetos hidroelétricos e desenvolvimento regional. Rio De Janeiro: Centro Ecumênico de Documentação e Informação, 1992.

WESTIN, Ricardo. Senado do Império estudou a transposição do São Francisco. In: Senado Notícias, 05 de Junho de 2017. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/06/05/senado-do-imperio-estudou-transposicao-do-rio-sao-francisco> Acesso: 22.07.2018

Publicado
2019-12-07
Seção
GT-13: Transformações no campo e nas cidades em um contexto de globalização