Considerações acerca de um percurso de pesquisa: uma meta-análise da conjugação de elementos da Teoria das Catástrofes (TC) e da noção de morfologia hierárquica estratificada aplicadas ao estudo da produção do espaço

  • James Amorim Araujo Universidade do Estado da Bahia

Resumo

Este artigo trata do percurso realizado teórico-metodologicamente para conjugar as noções de estabilidade estrutural e morfogênese da Teoria das Catástrofes (TC) do matemático René Thom à noção de morfologia hierárquica estratificada proposta pelo filósofo Henri Léfèbvre. Trata-se, portanto, de uma meta-análise do trabalho realizado na qual tecemos considerações acerca dos desafios/limites teóricos estabelecidos entre processo e estrutura, assim como, entre os métodos dialético e estrutural. A perspectiva de superação dos desafios partiu do papel do Estado como terceiro elemento epistemológico. Outra meta-análise feita é do ensaio de aplicação teórico-metodológica a partir de funções de medidas de valorização de uma seção do espaço urbano da cidade de Salvador/Ba. Concluímos que as noções teóricas citadas acima contribuem para a densificação do potencial analítico no interior da abordagem da produção do espaço.

Biografia do Autor

James Amorim Araujo, Universidade do Estado da Bahia
Professor Doutor em Geografia Humana. Professor adjunto do Departamento de Ciências Humanas, Campus V, da Universidade do Estado da Bahia.

Referências

BERTALANFFY, Ludwig von. Teoria Geral dos Sistemas. Fundamentos, desenvolvimento e aplicações. 6 ed. Petrópolis/Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

HARVEY, David. Os limites do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

LEFEBVRE, Henri. Da Teoria das crises à Teoria das Catástrofes. In: Revista GEOUSP – Espaço e Tempo. São Paulo, nº 25, pp. 128 – 152, 2009. Tradução de Anselmo ALFREDO, Carolina M. de PAULA e Thomas FICARELLI.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

______. La production de l’espace. 4e. Paris: Anthropos. 2000.

______. De L’État, Tome IV – Les contradictions de l’État moderne: la dialectique et/de l’État. Paris: Union Générale d´Éditions, 1978.

______. Au-delà du structuralisme. Paris: Éditions Anthropos, 1971.

______. Le langage et la Société. Paris: Éditions Gallimard, 1966. Col. Idées.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Os limites do conceito de estrutura em etnologia. In: BASTIDE, Roger (Coord.) Usos e sentidos do têrmo “Estrutura” nas ciências humanas e sociais. São Paulo: Ed. Da Universidade de São Paulo, 1971. Tradução de Maria Heloiza Schabs Cappellato.

MARSAULT, Xavier. Contribution de la Théorie de la Catastrophe à l‘étude et à l’analyse des images.1998.Tèse de Doctorat. Ecole Nationale des Travaux Public de l’Etat. Lyon : École Nationale des Travaux Public de l’Etat - Vaulx en Valin. 200 p.

OSEKI, Jorge Hajime. O único e o homogêneo na produção do espaço. In: MARTINS, Jose de Souza. Henri Léfèbvre e o retorno à dialética. São Paulo: HUCITEC, 1996.

SALES, Léa Silveira. Estruturalismo – história, definições e problemas. In: Revista de Ciências Humanas. Florianópolis: EDUFSC, n. 33, pp. 159-188, abril de 2003.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia nova: da crítica da Geografia a uma Geografia crítica. São Paulo: HUCITEC, 2002. Coleção Milton Santos.

_______. A natureza do espaço: técnica e tempo. Razão e emoção. 2 ed. São Paulo: Ed. Hucitec, 1997.

SÈVE, Lucien. Metodo Estructural y método dialectico. In: Dialéctica y estructuralismo. Buenos Aires: Ed. Orbelus, 1969. Traducció directa del francês de Hugo Acevedo.

THOM, René. Prédire n’est pas expliquer. Entretiens avec Émile Noël. Paris: Flammarion, 1993.

______. Structural Stability and morphogenesis: na outiline of a general theory of models. Washington (D.C.): Westview Press, 1989.

______. Paraboles et catástrophes: entretiens sur les mathématiques, la science et la philosophie réalisés par Giulio Giorello et Simona Morini. Paris: Flammarion, 1983.

______. Modèles Mathématiques de la Morphogènese. Paris: Christian Bourgois éditeur, 1980.

Publicado
2019-12-06
Seção
GT-9: A produção do urbano: abordagens e métodos de análise