DA CIDADE AO EDIFÍCIO: A INCORPORAÇÃO DE ESPAÇOS LIVRES DE ACESSO AO PÚBLICO À EDIFÍCIOS PRIVADOS

Resumo

O trabalho tem por objetivo demonstrar como a criação de espaços de livre acesso por parte da iniciativa privada tem sido uma tendência do mercado imobiliário em várias cidades no período atual, a partir do meio da década de 1990. A discussão se estabelece com a identificação de diversos sujeitos atuantes na produção do espaço urbano: o Estado, o capital imobiliário e a sociedade como um todo e como isso resulta na criação de áreas de livre acesso entre a calçada e o edifício. Para tanto, exemplifica-se a criação desses espaços no contexto internacional, nacional e da cidade de Juiz de Fora. A metodologia utilizada na pesquisa consistiu em pesquisa bibliográfica e documental. O estudo do tema justifica-se pois traz ao centro das discussões um fenômeno contemporâneo, sendo de grande importância o debate científico, além da contribuição do estudo para a sociedade.

Biografia do Autor

Raiza Monteiro Poggiali, Universidade Federal de Juiz de Fora

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestranda em Geografia pela Universidade Federal de Juiz de Fora

Referências

BELO HORIZONTE Prefeitura da cidade de. OU simplificadas. Belo Horizonte, 2018.

BORTOLI, F. O lugar do espaço público de propriedade privada na cidade contemporânea. Thésis, Rio de Janeiro, v. 2, n. 4, 2017.

BOTELHO, A. O urbano em fragmentos. A produção do espaço e da moradia pelas práticas do setor imobiliário. São Paulo: Annablume, FAPESP, 2007.

CARLOS, A. F. Espaço público e “nova urbanidade” no contexto do direito à cidade. Confins [Online], DOI: 10.4000/confins.8391, 2013.

CARLOS, A. F. A. O espaço urbano: novos escritos sobre a cidade. São Paulo: FFLCH, 2007.

CARLOS, A. F. São Paulo hoje: as contradições no processo de reprodução do espaço. Scripta Nova - Revista Electrônica de Geografía y CienciasSociales, Universidad de Barcelona, nº 88, 2001.

CORREIA, R. L. O espaço Urbano. 3ª ed. São Paulo: Ed. Ática, 1995.

CORRÊA, R. L. Sobre agentes sociais, escala e produção do espaço: um texto para discussão. In: CARLOS, A. F. A. ; SOUZA, M. L. SPÓSITO, M. E. B. (Org.). A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: contexto, 2011.

CURITIBA, Prefeitura da cidade de. LEI Nº 14.771, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2015. Dispõe sobre a revisão do plano diretor de Curitiba de acordo com o disposto no art. 40, § 3º, do estatuto da cidade, para orientação e controle do desenvolvimento integrado do município. Curitiba, 2015.

DIMMER, C. Changing Understanding of New York City’s Privately Owned Public Spaces. Sustainable Urban Regeneration, v. 25, n. Privately Owned Public Spaces - The International Experience , 2013a.

DIMMER, C. Standardised Diversity: Privately Produced Public Space in Japan. Sustainable Urban Regeneration, v. 25, n. Privately Owned Public Spaces - The International Experience, p. 36–41, 2013b.

DISTRITIO FEDERAL, Governo do; Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação — SEGETH Subsecretaria de Gestão Urbana — SUGEST Coordenação de Gestão Urbana — COGEST Diretoria de Normas Urbanas e Informação — DINOR . Fachada ativa. Brasília: 2017.

FIX, M. Financeirização e transformações recentes no circuito imobiliário no Brasil. Tese de Doutorado.-Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

FUHRMANN, E. S. Possibilities of Planning Publicly Usable Space through Incentive Zoning - The Example of Saniago de Chile. Sustainable Urban Regeneration, v. 25, n. Privately Owned Public Spaces-The International Experience, 2013.

HALL, T. Urban Geography. 2nd edition. London and New York: Routledge, 2001.

JUIZ DE FORA, Prefeitura da cidade de. Lei Municipal n° 6908, de 31 de maio de 1986. Dispõe sobre o parcelamento do solo no Município de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 1986.

JUIZ DE FORA, Prefeitura da cidade de. Relatório Final do Plano Estratégico da Cidade de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2000.

KAYDEN, J. S. Boston POPS - The city should compile a directory of public spaces. Architecture Boston, 2018.

KAYDEN, J. S. Occupy Wall Street and Privately Owned Spaces. Disponível em: Acesso em: 15 nov. 2015.

KAYDEN, J. S. The new york city department of city planning; the municipal art society of newyork. Privately Owned Public Space: The New York City Experience. New York: Wiley, 2000.

LEFEBVRE, H. A produção do espaço. 4 éd. Paris: Éditions Anthropos, 2000.

LEFEBVRE, H. A Revolução Urbana. Belo Horizonte, Ed. UFMG,1999.

LÉFÈBVRE, H. Une pensée devenue monde. Fault-il abandonner Marx? Paris: Fayard, 1980.

MACEDO, S. S. São Paulo, paisagem e habitação verticalizada- os espaços livres como elementos do espaço urbano. Tese (Doutorado em arquitetura)- Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1987.

MAGNOLI, M.M. Espaço livre – objeto de trabalho. Paisagem e Ambiente, São Paulo, n. 21, 2006.

MARCUS, C. C.; FRANCIS, C. People places: Design guidelines for urban open space. Nova York: Van Nostrand Reinhold, 1990.

MELAZZO, E. S. Dinâmica imobiliária e processos de estruturação intra-urbana em cidades de porte médio: hipóteses e propostas de trabalho. Relatório para o Workshop da ReCiMe no Rio de Janeiro, 2010.

OLDENBURG, R. The great good place: Cafes, coffee shops, bookstores, bars, hair salons, and other hangouts at the heart of a community. 2 ed. Cambridge: Da Capo Press, 1999.

PROCESS ARCHITECTURE. Pocket Parks. Process Architecture Publishing, Tóquio n. 78, 1988.

QUEIROGA, E. F.; MEYER, J. F. P.; MACEDO, S. S. Espaços livres de fruição pública: novos instrumentos municipais. In: XVI ENANPUR - Espaço, planejamento & insurgências. Anais... Belo Horizonte: ANPUR, 2015.

ROLNIK, R. A guerra dos lugares. A colonização da terra e da moradia na era das finanças: Boitempo, 2015.

SANTOS, M. Técnica, espaço e tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.

SANTOS, M. A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec, 1996.

SÃO PAULO, Prefeitura da cidade de. Lei nº 16.050, de 31 de julho de 2014. Aprova a política de desenvolvimento urbano e o plano diretor estratégico do município de são paulo e revoga a lei nº 13.430/2002. São Paulo, 2014.

SÃO PAULO, Prefeitura da cidade de; Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento. Fruição Pública. São Paulo, 2013.

SHIMBO, L.Z. Habitação social, habitação de mercado: A confluência entre Estado, empresas construtoras e capital financeiro. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo)- Universidade de São Paulo, São Carlos, 2012.

SILVEIRA, M. L. Globalização, Trabalho, Cidades Médias. Geo UERJ, n. 11, 2016.

SPUR - SAN FRANCISCO PLANNING + URBAN RESEARCH ASSOCIATION. Secrets of San Francisco. Where to find our city’s POPOS — privately owned public open spaces. The Urbanist. São Francisco, 2009.

SOMEKH, N. A cidade vertical e o urbanismo modernizador. 2. ED. ATUAL. São Paulo: Mackenzie e romano guerra editora, 2014.

SOUZA, M. A. A. A Identidade da Metrópole. São Paulo: EDUSP, 1994.

SPOSITO, M. Encarnação Beltrão. As cidades médias e os contextos econômicos contemporâneos. In: SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão. (Org.). Urbanização e cidades: perspectivas geográficas. Presidente Prudente: GAsPERR, 2001.

Publicado
2019-11-26
Seção
GT-1: Reestruturação urbana e econômica na produção do espaço: agentes e process