A CIDADE NO ENSINO DE GEOGRAFIA EM ESCOLAS PÚBLICAS EM GOIÂNIA- GO: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS A PARTIR DE IMAGENS

Resumo

Cada sujeito possui sua percepção ao observar uma imagem. Portanto, as imagens se tornam ferramenta para o ensino de geografia. A cidade de Goiânia é a realidade vivida dos alunos da região norte e leste, sendo periférica e com uma diversidade de alunos imigrantes. Entender as concepções de paisagem e cidade para alunos de escolas públicas, é saber sobre seus entendimentos no espaço. Obtém-se a partir dos resultados que a percepção dos alunos sobre cidades está vinculada principalmente as manifestações sociais e as redes de transportes. Esse entendimento por parte dos alunos é reflexo das realidades vividas e presenciadas no cotidiano de suas vidas.

Biografia do Autor

Roberta Silva Marques, Programa de pós graduação em Geografia- Institutos de Estudos Socioambientais- Universidade Federal de Goiás
Graduada em Geografia- Licenciatura na Universidade Federal de Goiás (2017), cursou em 2015/2 mobilidade estudantil na instituição portuguesa FCSH (Universidade Nova de Lisboa« Faculdade de ciências sociais e humanas» (departamento de geografia e planeamento regional)/ Financiada pelo Programa Santander Universidades. Atualmente é Graduanda em Geografia- Bacharelado na Universidade Federal de Goiás e Mestranda no PPGEO- UFG (Programa de Pós Graduação em Geografia- Instituto de Estudos Socioambientais), com concentração em: Dinâmica Socioespacial. Com ênfase de pesquisa em: Cidade, Geografia Urbana e planejamento Urbano.
Ana Paula Rodrigues Feitosa Frazão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia. Graduada em Geografia
Mestranda-Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia. Graduada em Geografia - Licenciatura pela Universidade Federal de Goiás. Desenvolveu pesquisa, no âmbito do Programa de Educação Tutorial em Geografia, na área de Geografia Urbana e Ensino de Geografia Física.
Alice da Silva Castro, Programa de pós graduação em Geografia- Institutos de Estudos Socioambientais- Universidade Federal de Goiás
Mestranda em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Instituto de Estudos Socioambientais (IESA) e bolsista CNPq. Licenciada em Geografia pela UFG/IESA onde foi bolsista do Projeto de Pesquisa "Identidades Territoriais e Políticas de Desenvolvimento Territorial e Ambiental na Reserva da Biosfera Cerrado - GO", financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG). Integrante do LABOTER (Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais). Possui experiência nos seguintes temas: Assentamentos Rurais; Políticas Públicas, Identidade Territorial e Comunidades Tradicionais Kalunga.

Referências

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Ed. Contraponto, 1997, 237p.

FUNES,V. Espectadores, los alumnos de siglo XXI. Revista Comunicar, Huesca, n. 33,XVII, p. 105-110, 2004.

GOMES, Paulo César da Costa. O lugar do olhar- Elementos para uma Geografia da visibilidade. Editora: Bertrand Brasil, p. 111, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Sidra: Banco de dados. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br>, acesso: 13 jun. 2019.

JOLY, M. Introdução à análise de imagem. Lisboa: ed. 70, 2007. 176p.

LEFEBVRE, H. La production de l’espace, Paris: Ed anthropos, 1974. 485p.

LÜDKE, M. ANDRÉ, E.D.A. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualidativas. São Paulo: EPU, 1986. p46.

TONINI, Ivaine Maria. Uma Geografia escolar com demandas sociais e culturais contemporâneas. In: CAVALCANTI, L.S. BUENO, M.A. SOUZA, V.C. (Org.) Produção do conhecimento e pesquisa no ensino de Geografia. Editora: Puc Goiás, 2011

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo. Ed. Martins Fontes, 1988. 194p.

Publicado
2019-12-08
Seção
GT-17: Geografia e Apropriação Urbana: Ensino de Cidade e das Comunidades Tradicionais