PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS E A FINANCEIRIZAÇÃO DA INFRAESTRUTURA URBANA NO BRASIL

Resumo

O presente trabalho pretende analisar as especificidades do processo de financeirização da produção do espaço urbano no Brasil. Para tal, identifica-se no instrumento das Parcerias Público-Privadas (PPP) uma possibilidade de aprofundamento do processo de financeirização do urbano. Neste sentido, busca-se identificar a formação de um novo consenso na condução das políticas urbanas, com maior participação do setor privado, bem como a criação de instrumentos que permitem maior relação com o mercado financeiro. Também destaca um novo papel do Estado neste contexto, a partir, do receituário neoliberal para este novo padrão de intervenção.

Referências

AALBERS, M. The potential for financialization. Dialogues in Human Geography 5.2, 214–19. 2015.

ARANTES, P. F.. O Ajuste Urbano: as políticas do Banco Mundial e do BID para as cidades. Pós. Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP, v. 20, p. 60-75, 2006.

BRESSER-PEREIRA, LUIZ CARLOS. Depois do capitalismo financeiro-rentista, mudança estrutural à vista? Novos Estudos. CEBRAP, v. 36, p. 137-152, 2017.

BID. Banco Interamericano de Desenvolvimento. Parcerias Público Privadas para o Desenvolvimento: Implementando Soluções no Brasil. Módulo I/Unidade I. 2017

______. Improving infrastructure financing in Brazil. World Economic Forum & Inter-American Development Bank. 2019.

CAMPAGNAC, ELISABETH; DEFFONTAINES, GÉRY. Une analyse socio-économique critique des PPP. Revue d'économie industrielle 2012/4 (No 140), p. 45-79.

CHESNAIS, F. “O Capital Portador de Juros: acumulação, internacionalização, efeitos econômicos e político”. In: CHESNAIS, F. (org.). A Finança Mundializada: raízes sociais e políticas, configuração, consequências. São Paulo, Boitempo. 2005.

FAUSTINO, RAPHAEL BRITO. Avanços e limites das políticas de desenvolvimento urbano no Brasil (1988-2013). Campinas: Unicamp, 2014. (Dissertação, Mestrado em Desenvolvimento Econômico).

FERREIRA, JOÃO SETTE WHITAKER. O mito da cidade global: o papel da ideologia na produção do espaço urbano. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

GUIRONNET, ANTOINE. HALBERT, LUDOVIC. The Financialization of Urban Development Projects: Concepts, Processes, and Implications. Working Paper n°14-04; décembre 2014; 44 pages. 2014.

HURK, MARTIJN VAN DEN; SIEMIATYCKI, MATTI. Public–Private Partnerships and the Design Process: Consequences for Architects and City Building. In: International Journal of Urban and Regional Research. Vol. 42, p.704-722. July/2018

KLINK, JEROEN ; SOUZA, MARCOS BARCELLOS DE . Financeirização: conceitos, experiências e a relevância para o campo do planejamento urbano brasileiro. Cadernos Metrópole, v. 19, p. 379-406, 2017.

LESSA, MARÍLIA ROLEMBERG E PERES, URSULA DIAS. No labirinto das contas públicas: quem controla as PPPs? Revista Novos Estudos CEBRAP (blog), São Paulo, Junho/2018.

LORRAIN, DOMINIQUE. The Discrete Hand - Global Finance and the City. Revue Française de Science Politique. 2011/6 (Vol. 61), p. 1097-1122.

MARICATO, ERMÍNIA. As ideias fora do lugar e o lugar fora das idéias – Planejamento urbano no Brasil. In: ARANTES, Otília; MARICATO, Ermínia; VAINER, Carlos. A cidade do pensamento único. Petrópolis: Vozes, 2000.

MARQUES, EDUARDO CESAR LEÃO. De volta aos capitais para melhor entender as políticas urbanas. Novos Estudos. CEBRAP, v. 35, p. 14-33, 2016.

MARTINS, ANTONIO. Sobre o equilíbrio financeiro das concessões e a taxa interna de rentabilidade (TIR) acionista: uma perspectiva econômica. In: Egon Bockmann Moreira. (Org.). Contratos administrativos, equilíbrio econômico-financeiro e a taxa interna de retorno: a lógica das concessões e parcerias público-privadas. 1ed.Belo Horizonte: Fórum, 2016, v. 1, p. 321-335.

MOREIRA, Egon Bockmann. Contratos administrativos de longo prazo: a lógica do seu equilíbrio econômico-financeiro. In: Egon Bockmann Moreira. (Org.). Contratos administrativos, equilíbrio econômico-financeiro e a taxa interna de retorno: a lógica das concessões e parcerias público-privadas. 1ed.Belo Horizonte: Fórum, 2016, v. 1, p. 79-88.

NASCIMENTO, Denise Morado; FREITAS, D. M. Ampliação do conceito de PPP para compreender seu papel no processo de neoliberalização. In: XVII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, 2017, São Paulo. XVII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. São Paulo: Anpur, 2017. v. 1. p. 1-14.

NASCIMENTO, Denise Morado; CARMO, E. A. ; RABELO, J. V. F. . O discurso midiático em prol das parcerias público-privadas. In: Raquel Rolnik; Paula Santoro; Denise Morado Nascimento; Daniel Medeiros de Freitas; Natacha Rena; Luis Renato Bezerra Pequeno. (Org.). Cidade Estado Capital: reestruturação urbana e resistência em Belo Horizonte, Fortaleza e São Paulo. 1ed.São Paulo: FAUUSP, 2018, p. 346-359.

PEREIRA, P. C. X.. Finanças e Imobiliário: O “Novo” Moinho Satânico Globalizado. In: II Congreso Latinoamericano de Teoria Social, Mesa 40, 2017, Buenos Aires. Listado de ponencia por mesa, 2017 Congreso Latinoamericano de Teoria Social. Buenos Aires: II CLTS, 2017. v. 1.

PÍREZ, P. La urbanización y la política de los servicios urbanos en América Latina. Andamios v. 10, n. 22. Universidad Autónoma de la Ciudad de México. 2013.

______. Las heterogeneidades en la producción de la urbanización y los servicios urbanos en América Latina. Territorios, 34, 87-112. 2016

RACO MIKE, STREET, EMMA E TRIGO, SONIA FREIRE. Regulatory capitalism, the changing nature of urban planning and the limits of neoliberalism. In: Debating the Neoliberal City. Edited by Gilles Pinson and Christelle Morel Journel. 2017.

ROLNIK, R.. Guerra dos lugares A colonização da terra e da moradia na era das finanças. 01. ed. São Paulo: Boitempo Editorial, 2015. 424p.

ROYER, L. O FGTS e o mercado de títulos de base imobiliária: relações e tendências. Cadernos Metrópole, v. 18, p. 33-52, 2016.

RUFINO, M. B. C.; FERRARA, L. ; SHIMBO, LZ . Imobiliário-Infraestrutura na cidade do século XXI: desafios para uma crítica contra-hegemônica. Risco: Revista de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo (on line), v. 16, p. 84-101, 2018.

RUFINO, M. B. C. Public-private partnerships and their implications for inclusive urbanisation in Brazil. Regions Magazine, v. 303, p. 14-15, 2016.

SANFELICI, D. Financeirização e a produção do espaço urbano no Brasil: uma contribuição ao debate. EURE (Santiago. En línea), v. 39, p. 27-46, 2013.

SILVA FILHO, E. B.. TD 1989 - Securitização de Ativos Públicos para Financiamento de Projetos de Infraestrutura: o caso brasileiro e a experiência dos Brics. Brasília: IPEA, 2014 (Texto para Discussão).

VAZQUEZ, M.; HALLACK, M.; QUEIROZ, R. Financiamento de longo prazo no setor de infraestrutura. In: Governança da política de infraestrutura: condicionantes institucionais ao investimento. Rio de Janeiro: Ipea, 2018.

Publicado
2019-12-07
Seção
GT-12: Estado, grandes projetos e planejamento corporativo