O ESPAÇO PÚBLICO COMO PALCO DOS CONFLITOS URBANOS: CONSTRUINDO TERRITORIALIDADES E BUSCANDO O DIREITO À CIDADE

  • Karina Machado de Castro Simão Escola de Arquitetura da UFMG
  • Raquel Garcia Gonçalves

Resumo

Os conflitos urbanos que se manifestam nos espaços públicos estão diretamente relacionados à formação de territorialidades, definindo ou redefinindo relações de poder, e reivindicando o direito à cidade. É no espaço público que acontecem as ações coletivas, onde o homem se faz um sujeito social e atua como cidadão, a partir das práticas sociais e dos conflitos urbanos. O trabalho visa investigar os conflitos urbanos realizados no município de Belo Horizonte, que constituem territorialidades no espaço público e que são um dos caminhos para se alcançar o direito à cidade. Os procedimentos metodológicos adotados tratam da pesquisa de caráter qualitativo e exploratório, a partir da revisão bibliográfica e da coleta de dados dos conflitos urbanos registrados pelo Observatório de Conflitos Urbanos de Belo Horizonte no período de abril de 2006 a junho de 2018.

Biografia do Autor

Karina Machado de Castro Simão, Escola de Arquitetura da UFMG
Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005) e mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela Escola de Arquitetura da UFMG (2012). Doutoranda do Núcleo de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFMG (2016-2020). Pesquisadora do Observatório de Conflitos Urbanos da Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento urbano, paisagismo e conflitos urbanos.

Referências

ABRAHÃO, Sérgio Luís. Espaço Público, do urbano ao político. São Paulo: Annablume/ Fapesp, 2008.

AMADEU, Sérgio. Sérgio Amadeu discute consequências das “Jornadas de Junho” e expansão da nova direita. 2018. Revista Fórum. Disponível em < https://www.revistaforum.com.br/sergio-amadeu-discute-consequencias-das-jornadas-de-junho-e-expansao-da-nova-direita/>. Acesso em dez. 2018.

AVRITZER, Leonardo. Impasses da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2016.

CARLOS, A. F. A. A tragédia urbana. In: CARLOS, A. F. A.; VOLOCHO, D.; ALVAREZ, I. P. A cidade como negócio. São Paulo: Editora Contexto, 2015. p. 43-63.

DELGADO, Manuel. El Espacio Público No Existe . 2018. In: MANUELDELGADORUIZ. BLOGSPOT. 2018. Disponível em < http://manueldelgadoruiz.blogspot.com/2018/09/el-espacio-publico-no-existe.html>. Acesso em 09 set 2018.

ESTADO DE MINAS. Protesto contra a Copa do Mundo reúne manifestantes em BH e outras capitais do país. 2014. Disponivel em <http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2014/01/25/interna_gerais, 491693/protesto-contra-a-copa-do-mundo-reune-manifestantes-em-bh-e-outras-capitais-do-pais.shtml >. Acesso em 10 fev 2014.

GOMES, Paulo Cesar da Costa. A condição urbana: ensaios de geopolítica da cidade. 2.ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2006.

GOMES, Paulo César da Costa. Espaços públicos: um modo de ser do espaço, um modo de ser no espaço. In: [CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo César da Costa; CORRÊA, Roberto Lobato]. Olhares Geográficos. Rio de Janeiro: Bertrand, 2012.

GONÇALVES, Raquel Garcia; SIMAO, Karina M. C.; PAIVA, R. V. C.; RAMOS, V. S. Sobre conflitos urbanos, territórios e poder: a disputa pela incerteza In: Anais do XVII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, São Paulo, 2017.

HARVEY, David; CAMARGO, Jeferson. Cidades rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

HOLSTON, James. A cidadania estranhada. In: Cidadania insurgente. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p.197-261.

LEFEBVRE, Henri. O direito a cidade. 5. ed. São Paulo: Centauro, 2008.

MAGALHÃES, Fabiano Rosa de. Estratégias de rua: manifestações político-sindicais do Sindicato dos Bancários na Praça Sete de Belo Horizonte. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

MENDES, Igor. Algumas lições das Jornadas de Junho de 2013. A nova democracia. Apoie a imprensa popular democrática. Ano XIV, nº 171, 2ª quinzena de junho de 2016. Disponível em < https://anovademocracia.com.br/no-171/6466-algumas-licoes-das-jornadas-de-junho-de-2013>. Acesso em 10 de dez. 2018.

OBSERVATÓRIO DE CONFLITOS URBANOS. Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura. Belo Horizonte, 2018.

OLIVEIRA, Francisco de. O que é formação para a cidadania? Entrevista por Silvio Caccia Bava. 2000.

ROLNIK, Raquel. As vozes das ruas: as revoltas de junho e suas interpretações. In: MARICATO, Ermínia et al. Cidades Rebeldes: Passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2013.

SECCO, Lincoln. As jornadas de junho. In: ROLNIK, Raquel et al. Cidades rebeldes: passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2013. p. 71-78.

SERPA, Ângelo. O espaço público na cidade contemporânea. São Paulo: Contexto, 2007.

SOUZA, Marcelo Lopes de. Mudar a Cidade: uma introdução crítica ao planejamento e a gestão urbanos. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 2013.

SOUZA, Marcelo Lopes de. O Território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: CASTRO, Iná Elias de et al. Geografias: Conceitos e Temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

VAINER, C.B.. Mega-eventos, mega-negócios, mega-protestos. Blog da Boitempo, 2013.

VAINER, Carlos. Cidade de Exceção: reflexões a partir do Rio de Janeiro. In: Anais do XIV Encontro Nacional da ANPUR. Rio de Janeiro, 2011.

Publicado
2019-12-05
Seção
GT-6: Território e ativismos sociais urbanos