POLÍTICAS DE REPRESENTAÇÃO E PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO EM UM CONTEXTO DE URBANIZAÇÃO NEOLIBERAL: ESTUDO DE CASO DA ZONA PORTUÁRIA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

  • João Carlos Carvalhaes dos Santos Monteiro

Resumo

À luz dos recentes projetos de transformação da zona portuária da cidade do Rio de Janeiro, o presente trabalho tem como objetivo questionar os pressupostos angariados por agentes públicos e privados que resultaram na estigmatização dos bairros centrais, bem como os discursos que legitimaram a concretização de projetos urbanos e as recentes iniciativas de revalorização simbólica para alavancar a ensejada “revitalização” da zona portuária da cidade do Rio de Janeiro. Parte-se de uma perspectiva histórica para analisar a evolução das representações sobre este setor da cidade e a influência do fenômeno de neoliberalização neste processo para, finalmente, debatermos a construção das políticas de representação que acionam estigmas sobre o território de forma a legitimar o projeto de “revitalização” concebido por grupos hegemônicos.
Publicado
2019-12-06
Seção
GT-9: A produção do urbano: abordagens e métodos de análise