INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE SÃO GONÇALO/RJ: UMA ANÁLISE A PARTIR DA PESCA ARTESANAL NA BAÍA DE GUANABARA

Autores

  • Guido Cruz de Assis Universidade Federal Fluminense
  • Thaís Matos Universidade Federal Fluminense
  • Laís Bronzi Universidade Federal Fluminense

Resumo

O presente estudo analisa o processo de industrialização do município de São Gonçalo/RJ com o recorte da margem da Baía de Guanabara, mostrando como a implantação de indústrias na área foi responsável pela acelerada urbanização do município. Aborda também, os impactos da industrialização-urbanização à comunidade tradicional pesqueira, especialmente o caso da Favela do Gato, a transformação na paisagem a partir da implementação da rodovia BR-101 e os impactos socioambientais à orla oriental da Baía de Guanabara.

Biografia do Autor

Guido Cruz de Assis, Universidade Federal Fluminense

Graduando do curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal Fluminense. (GGE/UFF)

Thaís Matos, Universidade Federal Fluminense

Graduanda do curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal Fluminense. (GGE/UFF)

Laís Bronzi, Universidade Federal Fluminense

Graduanda do curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal Fluminense. (GGE/UFF)

Referências

ALENCAR, Emanuel. Baía de Guanabara: descaso e resistência. 1. ed. Rio de Janeiro: Mórula, 2016. 124 p. Disponível em: https://br.boell.org/sites/default/files/baiaguanabara_web_20jul.pdf. Acesso em: 18 jun. 2019.

ARAÚJO, Leila Lima de Oliveira. A estrada como agente de transformação urbana: o caso do trecho rodoviário Niterói-Manilha (BR-101). In: Congresso Brasileiro de Geógrafos, 7. , Anais... Vitória: Associação dos Geógrafos Brasileiros, 2014. Disponível em: https://docplayer.com.br/14642499-A-estrada-como-agente-de-transformacao-urbana-o-caso-do-trecho-rodoviario-niteroi-manilha-br-101.html

ARAÚJO, Leila Lima de Oliveira. Periferia urbana: uma História em transformação. In: I Seminário Internacional História do Tempo Presente, 2011, Florianópolis. Anais [...].2011. Disponível em: http://eventos.udesc.br/ocs/index.php/STPII/stpi/paper/viewFile/277/196. Acesso em: 21 jun. 2019

BIENENSTEIN, Regina; FREIRE, Eloisa Helena Barcelos; BIENENSTEIN, Glauco. A luta da favela do gato contra remoção: um exemplo de articulação entre universidade e comunidade. In: II SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE URBANIZAÇÃO DE FAVELAS, 2016, Rio de Janeiro. Anais [...].2016. Disponível em: http://www.sisgeenco.com.br/sistema/urbfavelas/anais2016/ARQUIVOS/GT3-273-184-20161010210508.pdf. Acesso em: 21 jun. 2019

BOM DIA RIO. Pescadores relatam assaltos frequentes na Baía de Guanabara. G1, Rio de Janeiro, p. 1, 14 jan. 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/01/14/pescadores-relatam-assaltos-frequentes-na-baia-de-guanabara.ghtml. Acesso em: 28 jun. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.959, de 29 de junho de 2009. Dispõe sobre a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca, regula as atividades pesqueiras, revoga a Lei no 7.679, de 23 de novembro de 1988, e dispositivos do Decreto-Lei no 221, de 28 de fevereiro de 1967, e dá outras providências. POLÍTICA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA AQUICULTURA E DA PESCA, Brasília, 2009. Disponível em: https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/817808/codigo-de-pesca-lei-11959-09, acesso: 27 jun. 2019.

CHAVES, Carla Ramôa. MAPEAMENTO PARTICIPATIVO DA PESCA ARTESANAL DA BAÍA DE GUANABARA. 2011. 185 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza, Instituto de Geociências, Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: http://objdig.ufrj.br/16/teses/773632.pdf. Acesso em: 20 jun. 2019.

FERREIRA, J.A. A precarização da pesca artesanal e reprodução do espaço na Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ ). Revista Geográfica De América Central, Vol. 2, n.º 47E, 1, https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2121.

FUINI, Lucas Labigalini. O território em Rogério Haesbaert: concepções e conotações. Portal de Periódicos UFSM, Santa Maria, v. 21, n. 1, 2017. p.19-29. DOI 10.5902/2236499422589. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/22589/pdf. Acesso em: 28 jun. 2019.

GEIGER, P. Urbanização e Industrialização na Orla Oriental da Baía de Guanabara. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, 1956, p. 495-518.

HAESBAERT, R. A desterritorialização: Entre as redes e os aglomerados de exclusão. In: CASTRO, Iná E., et. al, Geografia: Conceitos e temas. 5ª. Ed., Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995, p. 165-206.

HOMERO, Vilma. A história de São Gonçalo para professores e alunos. FAPERJ, Rio de Janeiro, 25 maio 2006. Arquivo de Notícias, p. 1. Disponível em: http://www.faperj.br/?id=747.2.2, acesso: 28 jun. 2019.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Levantamento de Dados da Atividade Pesqueira na Baía de Guanabara como Subsídio na Avaliação de Impactos Ambientes e Gestão da Pesca. Disponível em: < http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/biblioteca/download/trabalhos_tecnicos/pub_2002_trab_levantamento_dados_atividades_pesqueira.pdf>, acesso: 23/ jun. 2019

OBSERVATÓRIO NITERÓI. Perda do território pesqueiro na Baía de Guanabara. Niterói, 29 mar. 2017. Disponível em: https://www.peaobservacao.com.br/reducao-da-pesca-na-baia-de-guanabara/, acesso: 21 jun. 2019.

SILVA, Catia Antonia. Circuitos produtivos da pesca artesanal no Rio de Janeiro - Brasil: desafios e contextos. Revista Geográfica de América Central. 2011, 2 (julho-dezembro): [Data de consulta: 22 de junho de 2019]. Disponível em: <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=451744820209>

UNIVERSIDADE DE MARYLAND CENTRO PARA CIÊNCIAS AMBIENTAIS (UMCES). Boletim de saúde ambiental da Baía de Guanabara. Disponível em: https://ecoreportcard.org/site/assets/files/1828/boletim-de-saude-ambiental-da-baia-de-guanabara-2016-1.pdf, acesso: 26 jun. 2019

Publicado

2019-12-08

Edição

Seção

GT-17: Geografia e Apropriação Urbana: Ensino de Cidade e das Comunidades Tradicionais