SEGREGAÇÃO ESPACIAL E EDUCAÇÃO NA CIDADE: CONTRIBUIÇÕES DA ENTREVISTA DE ERMÍNIA MARICATO PARA O ENSINO DE HUMANIDADES

  • Priscila de Souza Chisté Leite IFES
  • Dilza Côco Ifes
  • Mariana Dionizio dos Santos Ifes

Resumo

O artigo aborda o conceito de segregação espacial gestado no processo de constituição das cidades brasileiras. Para isso, explora dados de entrevista concedida pela pesquisadora e ativista política ligada a questões da produção do urbano, Dra Ermínia Maricato, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Essa entrevista, realizada pelas coordenadoras do grupo de estudos e pesquisas (RETIRADA A IDENTIFICAÇÃO), aconteceu no ano de 2017, e integra uma série que prioriza o diálogo com pesquisadores que têm como foco de investigação a cidade. O conteúdo discursivo da entrevista, analisado a partir de contribuições de Mikhail Bakhtin, visa tecer relações entre os conceitos de segregação urbana e educação na cidade, com destaque para ações de estudos coletivos com professores da educação básica, interessados em explorar o potencial educativo da cidade na contexto do ensino de humanidades. O artigo conclui que trata-se de um conceito importante para análise da cidade e a compreensão da produção de injustiças e desigualdades sociais. 

Biografia do Autor

Priscila de Souza Chisté Leite, IFES
Mestre e Doutora em Educação (UFES). Professora do IFES.
Dilza Côco, Ifes

Professora do Instituto Federal do Espírito Santo. Mestre e Doutora em Educação.

Mariana Dionizio dos Santos, Ifes
Aluna do curso de Letras do Ifes e bolsista de iniciação Científica.

Referências

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins

BR CIDADES. Manifesto: um projeto para as cidades do Brasil. Disponível em www.brcidades.org. Acesso 01 mai. 2019.

CÔCO, D.; CHISTÉ, P. S. Metodologias para os estudos da cidade e suas relações com a educação. In: BRANDÂO et. al (org.). A prática na investigação qualitativa: exemplos de estudos. Portugal: Editora Ludomedia, 2018. p. 91-120.

DELLA FONTE, S. Apresentação. In: CÔCO, D. et. al. (org.). Educação na cidade: conceitos, reflexões e diálogos. Vitória, ES: Edifes, 2018. p. 15-20.

FOLLADOR, K. J. ; FERREIRA, G. L. Histórias paralelas: modernização e urbanismo nas cidades de Vitória e Rio de Janeiro. In: Modernidade e Modernização no Espírito Santo. Vitória: Edufes, 2015. p. 63-100.

GEGE. Palavras e contrapalavras: Glossariando conceitos, categorias e noções de Bakhtin. São Carlos: Pedro & João Editores, 2013.

IBGE CIDADES. Mapas. Acesso em: 05-06-2019. Disponível em: <http://legado.vitoria.es.gov.br/regionais/Censo_2010/Mapas/negra_parda_site.pdf>.

LEFEBVRE, Henri. A Revolução Urbana. São Paulo: Editora UFMG, 2008.

LEFEBVRE, Henri. Direito à cidade. São Paulo: Editora Moraes, 1991.

MARICATO, Ermínia. Entrevista sobre estudos da cidade e educação [12 de maio de 2017]. Entrevistadores: Dilza Côco e Priscila de Souza Chisté Leite. São Paulo, 2017. 5 arquivos em vídeo (90 min). Entrevista concedida ao Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Educação na Cidade e Humanidades.

MARICATO, Ermínia. Para entender a crise urbana. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MELANCOLIA NA DESIGUALDADE URBANA. Café filosófico. Rio de Janeiro: TV CULTURA, 16 de abril de 2017. Programa de TV.

MENDONÇA, M. C. A modernização do atraso: os fundamentos da urbanização de Vitória 1889-1930. Programa de Pós Graduação em Geografia da Universidade Federal do Espirito Santo. Dissertação, 2014.

MIOTELLO, V. Algumas anotações para pensar a questão do método em Bakhtin. In: Grupo de estudos dos gêneros do discurso (GEGE). Palavras e contrapalavras: enfrentando questões da metodologia bakhtiniana. São Carlos: Pedro e João Editores, 2012.

QUINTÃO, L. do C. Modernização urbana na Belle Époque capixaba: revisitando o Novo Arrabalde. In: RIBEIRO et. al. Modernidade e modernização no Espírito Santo. Vitória, ES: Edufes, 2015. P. 13-62.

SANTOS, M. D.; LEITE, Priscila de S. C.; CÔCO, Dilza. O gênero entrevista como estratégia de estudo sobre a cidade e suas relações com a educação. Anais do IV Encontro de Estudos Bakhtinianos [EEBA]: das resistências à escatologia política: risos, corpos e narrativas enunciando uma ciência outra. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017. p. 758-769. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1hyn0j90syXrd1E1tmac6dQAjMNVh8BVm/view

VILLAÇA, F. São Paulo: segregação urbana e desigualdade. Estudos avançados, n. 25 (71), 2011.

Publicado
2019-12-08
Seção
GT-17: Geografia e Apropriação Urbana: Ensino de Cidade e das Comunidades Tradicionais