Considerações sobre a produção do espaço praiano no Recife: os limites e os desafios do planejamento urbano

Resumo

O objetivo deste trabalho é descrever sumariamente o processo de produção do espaço praiano no Recife por meio de pesquisa bibliográfica e iconográfica, retratando as  diferentes representações sociais das praias durante a história, a incorporação de hábitos por parte da população que redefiniram o valor desse ambiente, bem como sua conflituosa apropriação, valorização e consumo, destacando também os problemas sociais e ambientais associados. O processo de valorização em torno das praias do Recife envolveu, antes de mais nada, um redimensionamento de seu valor comparativo através de um novo olhar lançado sobre suas características originais, que tornou esse ambiente escasso e campo de atuação do mercado imobiliário e do turismo. Assim, uma poderosa e rápida transformação tem ocasionado uma série de problemas sociais e ambientais que não vem sendo devidamente compreendidos pelos gestores urbanos

Biografia do Autor

Otávio Augusto Alves dos Santos, Universidade Federal Rural de Pernambuco
Graduado em Geografia (2010), Mestre em Desenvolvimento Urbano (2013) e Doutor em Desenvolvimento Urbano (2017) pela Universidade Federal de Pernambuco. É professor adjunto da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), na área de Geografia, lotado no Departamento de História. Membro do grupo de pesquisas Produção do Espaço, Metropolização e Relação Rural-Urbano (GPRU). Tem experiência na área de Geografia Urbana e possui interesse acadêmico nas áreas de Geografia Histórica, Planejamento Urbano e Educação, atuando nos seguintes temas: Produção do espaço, Fragmentação, meio ambiente, memória do lugar e ensino de Geografia.

Referências

ALENCAR, S. L. Do sal e do sol: práticas turísticas e conflitos sociais na construção de um espaço turístico: Boa Viagem-PE (1950). 2016. Dissertação (Mestrado em Mudança Social e Participação Política) - Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

ALMEIDA, I. M. S; BELTRAME, L. T. C; MAIA, F. J. F. Projeto Via Mangue: supressão de área de preservação permanente em Recife/PE. In: Anais do 8º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos: Curitiba: UTPR. p. 1-11, 2017.

ARAÚJO, R. C. B. As praias e os dias: história social das praias do Recife e de Olinda. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 2007a

______. A vida ao ar livre: os banhos de rio, de mar e de sol. CLIO: Série História do Nordeste (UFPE), v. 2, p. 155-184, 2007b

ARAÚJO, F. A. Para além do concreto armado: os embates da implementação do Parque Dona Lindu. 2016. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano) - Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

BARBOSA, A. C. M. A. Imagens, paisagem e situação: análise visual da orla da praia de Boa Viagem. 2010. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano) - Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.

BARTHEL, S. G. A. Sociedade de classes, espaço urbano diversificado: a faixa de praia do Recife. 1989. Dissertação (Mestrado) - Mestrado em Economia e Sociologia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1989.

CORBIN, A. Território do vazio: a praia e o imaginário ocidental. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

COSTA, M. F; ARAÚJO, M. C. B; SILVA-CAVALCANTI, J. S; SOUZA, S. T. Verticalização da praia da Boa Viagem (Recife, Pernambuco) e suas consequências sócio-ambientais. Revista da Gestão Costeira Integrada, v. 8, n. 2, 233-245, 2008

COSTA, F. A. P. Arredores do Recife. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 1981

DANTAS, E. W. C. PEREIRA, A. Q. Reflexões sobre a vilegiatura marítima nos trópicos. In: DANTAS, E. W. C. et al (orgs). Turismo e imobiliário nas metrópoles. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2010.

DANTAS, E. W. C. O Mar e o Marítimo nos Trópicos. GEOUSP Espaço e Tempo, n. 15, p. 63-76, 2004.

______. Maritimidade nos trópicos: por uma geografia do litoral. Fortaleza: Edições UFC, 2009.

______. Incorporação do lado mar à Geografia das metrópoles nordestinas. Boletim Goiano de Geografia, v. 35, n. 3, p. 380-396, 2015. DOI: 10.5216/bgg.v35i3.38830

DIAGONAL e JW URBANA. Diagnóstico propositivo do plano diretor, da lei de parcelamento e da lei de usos e ocupação do solo. Secretaria de Planejamento Urbano/Instituto da Cidade Pelópidas Silveira, 2018

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Diário nos bairros: Avenida Boa Viagem, uma via que mudou o Recife (13/07/2018). Disponível em: <http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2018/07/13/interna_vidaurbana,757255/avenida-boa-viagem-uma-via-que-mudou-o-recife.shtml> Acesso em: 17 de julho de 2018

GUERRA, A. T. Dicionário geológico-geomorfológico. 8.ed. Rio de Janeiro: IBGE, 1993

HOUAISS, A; VILLAR, M. S; FRANCO, F. M. M. Pequeno dicionário Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Moderna, 2015.

JORNAL DO COMMÉRCIO. Recife em transformação: Boa Viagem - de área rural ao bairro mais verticalizado do Recife (08/04/2018). Disponível em: <http://especiais.jconline.ne10.uol.com.br/recifeemtransformacao/boa-viagem-de-area-rural-ao-bairro-mais-verticalizado-do-recife/> Acesso em: 10 de junho de 2018

MIKOSZ GONCALVES, Rodrigo et al. Urbanização costeira e sombreamento na praia de Boa Viagem, Recife-PE, Brasil. Revista de Geografia Norte Grande. Santiago, n. 54, p. 241-255, 2013. DOI: 10.4067/S0718-34022013000100013

MORAES, A. C. R. Beira do mar, lugar comum? A valorização e a valoração dos espaços litorâneos. Paisagem e Ambiente - Ensaios. São Paulo, n. 10, p. 51-69, 1997.

MOREIRA, F. D; SARAIVA, K. Dos subúrbios coloridos aos horizontes molhados: a expansão urbana do Recife nos anos 1920. In: Anais do XV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo. Rio de Janeiro: UFRJ, 2018.

OLIVEIRA, T. H; GALVÍNCIO, J. D. PIMENTEL, R. M. M; SILVA, B. B. Uso e cobertura do solo e seus efeitos na distribuição da temperatura de superfície em área urbana. Revista Brasileira de Geografia Física. Recife, v. 6, n. 6, p. 1598-1616, 2013.

REVISTA DE PERNAMBUCO, A Avenida Beira-mar, Ano 1, Número 11, agosto de 1924.

REZENDE, A. P. O Recife: histórias de uma cidade. 2.ed. Recife: Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 2005.

______. (Des)encantos Modernos: histórias da cidade do Recife na década de vinte. Recife: Fundarpe, 1997.

SANTOS, O. A. A. Diferenciação espacial: contribuição ao estudo de processos na cidade contemporânea. Revista GeoUERJ, n. 33, p. 1-21, 2018. DOI: 10.12957/geouerj.2018.25085

SILVA, T. S; TRIBST, A. L; CARDOSO, A. T. P; MALINCONICO, N. Comparação de indicadores de qualidade ambiental na praia de Boa Viagem (Pernambuco) nos anos 2008 e 2018. Revista Geama: ciências ambientais e biotecnologia. v.4, n. 3, 28-37, 2018.

SILVEIRA JÚNIOR, R. S. A regulação urbanística no ordenamento do espaço urbano: os impactos da Lei 16.176/96 no bairro de Boa Viagem, Recife/PE. 2016. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano) - Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

Publicado
2019-12-06
Seção
GT-8: Geografia histórica urbana