A MÚSICA DO TERRITÓRIO E O TERRITÓRIO DA MÚSICA: O FUNK E OS BAILES NAS FAVELAS DO RIO DE JANEIRO

Autores

  • Lino Azeredo da Silva Teixeira Universidade Federal Fluminense

Resumo

O tema central do presente artigo são os processos de criação, fruição e difusão que sustentam, de modo material e imaterial, o gênero musical funk na cidade do Rio de Janeiro a partir de uma perspectiva geral e histórica de sua formação e desenvolvimento. Procura-se compreender qual a relevância do funk enquanto interpretação, apropriação e proposição do território socialmente construído nas dinâmicas entre as favelas e o conjunto da cidade do Rio de Janeiro. O trabalho aqui proposto utiliza as mediações socioespaciais para análise e interpretação da representatividade cultural e artística do funk e, ao mesmo tempo, como esses sujeitos de arte são expressões das lutas por direitos de grupos populares e nas disputas de representações simbólicas.

Biografia do Autor

Lino Azeredo da Silva Teixeira, Universidade Federal Fluminense

Arquiteto e urbanista de formação pela Puc-RIo, vem desenvolvendo pesquisas e projetos urbanos em favelas na cidade do Rio de Janeiro desde 2014, passando por instituicoes como Observatório de Favelas e Instituto Maria e JOão Aleixo Atualmente é mestrando em Geografiapela Universidade Federal Fluminense.

Publicado

2019-12-07

Edição

Seção

GT-10: Práticas culturais na produção da cidade