Relações de poder e regimes de segregação no Centro de São Paulo

  • Thauany Vernacci B. P. FREIRE Universidade de São Paulo

Resumo

Neste artigo avento o surgimento de um novo regime de segregação no Centro de São Paulo, onde as desigualdades sociais e residenciais adquiriram recortes específicos a partir da chegada de novos moradores pertencentes à classe média concomitantemente ao aumento da população pobre. As características distintivas desta segregação aparecem no modo como os discursos e práticas das políticas públicas locais estão centrados na oferta de ambientes seguros e protegidos para determinados grupos de pessoas por meio do controle do fluxo e mobilidade de outros. Entendo que as disparidades sociais são produzidas no interior de uma mesma totalidade globalizada, logo constitutivas da reprodução social capitalista, não apenas como mera consequência, mas como uma das suas principais forças de conservação. As relações de poder, dominação e hierarquização social que constituem o cotidiano metropolitano de São Paulo são aqui abordadas como produto das contradições da lógica social capitalista, detendo um sentido específico no seu atual estado de crise.  

Biografia do Autor

Thauany Vernacci B. P. FREIRE, Universidade de São Paulo
Graduada e mestra em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo, se dedica a investigações críticas na área de Geografia Urbana.

Referências

ARANHA, V. e TORRES, H. da G. (2014). Lançamentos imobiliários e dinâmica demográfica recentes no Município de São Paulo. 1ª Análise. São Paulo, Seade, n. 15.

ARANTES, Pedro. O ajuste urbano: as políticas do Banco Mundial e do BID para as cidades latino-americanas. Dissertação, FAU-USP, 2004.

BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO. Relatório de Término do Projeto: Programa de Ação nos Cortiços do Estado de São Paulo (PAC) Primeira Fase. Subsetor de Desenvolvimento Urbano e Habitação. São Paulo: BID, 2011. Disponível em: http://idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=37191602. São Paulo: BID, 2011.

BONDUKI, Nabil. Origens da habitação social no Brasil: Arquitetura moderna, Lei do inquilinato e difusão da casa própria. São Paulo: FAPESP (Estação Liberdade), 2011.

BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO. Relatório de Término de Projeto. Programa de Ação nos Cortiços do Estado de São Paulo (PAC). Primeira Fase. Desenvolvimento urbano e Habitação. Junho 2011.

CAMMACK, Paul. What the World Bank means by poverty reduction and why it matters. New Political Economy, v. 9, n. 2, p. 189-211, 2004. https://doi.org/10.1080/1356346042000218069

DAMIANI, Amelia Luisa. A metrópole e a indústria: reflexões sobre uma urbanização crítica. Terra Livre, São Paulo,n.15,p.21-37,2000.

HARVEY, David. O Novo Imperialismo. Edições Loyola. São Paulo: 2005

HARVEY, David. O Enigma do Capital e as crises do capitalismo. Trad. João Alexandre Peschanski. São Paulo, SP: Boitempo, 2011.

INSTITUTO PÓLIS. Controle social de políticas públicas: o financiamento do BID para a reabilitação do Centro de São Paulo. Relatório III. 30 nov. 2007.

KOHARA, L. Cortiços: o mercado habitacional de exploração da pobreza. Disponível em: http://www.gaspargarcia.org.br/noticia/gaspar-garcia-na-m%C3%ADdia-corti%C3%A7os-o-mercado-habitacional-de-explora%C3%A7%C3%A3o-da-pobreza

KURZ, Robert. O colapso da modernização: da derrocada do socialismo de caserna à crise da economia mundia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

LEFÈBVRE, H. Espaço e Política. Trad. MM de Andrade e S Martins. Belo Horizonte, UFMG, 2008.

LINCOLN INSTITUTE OF LAND POLICY. Oportunidades e limites para a produção de habitação social no centro de São Paulo. Relatório Final. Helena Menna Barreto Silva (coord.) e Leticia Moreira Sigolo.. São Paulo: novembro de 2007.

MARX, KARL. O Capital: Critica da economia política. Livro Primeiro. (Tomo 1). São Paulo: Abril Cultural, 1983. 12

MARTINS, Flávia Elaine da Silva. A (re) produção social da escala metropolitana: um estudo sobre a abertura de capitais nas incorporadoras e sobre o endividamento imobiliário urbano em São Paulo. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo. Sâo Paulo, 2010.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Antigona: Lisboa. 2014.

NAKANO, Anderson Kazuo. Desigualdades habitacionais no “repovoamento” do centro expandido do município de São Paulo. Caderno Metrop. , São Paulo,v.20,n.14,pp.53-74,jan/abr 2018.

OLIVEIRA, Francisco de. Critica à razão dualista; O ornitorrinco. Boitempo Editorial: São Paulo, 2003.

ROYER, Luciana de Oliveira. Financeirização da Política Habitacional: limites e perspectivas. São Paulo, Annablume, 2014.

SECRETARIA ESPECIAL DE COMUNICAÇÃO DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. Prefeitura inicia obras de requalificação do Vale do Anhangabaú. 10/06/2019. Disponível em: http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-inicia-obras-de-requalificacao-do-vale-anhangabau

SCHOLZ, Roswita. Cristovão Colombo Forever? Para a crítica das atuais teorias da colonização no contexto do “Colapso da modernização”. Tradução de Boaventura Antunes . Maio/ 2016. Disponível em : http://www.obeco-online.org/roswitha_scholz24.htm

SCHOLZ, Roswita. A nova crítica social e o problema das diferenças : disparidades económicas, racismo e individualização pós-moderna. Lumir Nahodil e Boaventura Antunes. Sem data. Disponível em: http://www.obeco-online.org/roswitha_scholz3.htm

Publicado
2019-12-06
Seção
GT-9: A produção do urbano: abordagens e métodos de análise