MORADIA COMO NEGÓCIO E OS LIMITES DO DIREITO À CIDADE

  • Ana Paula Serpa Nogueira de Arruda Universidade Candido Mendes
  • Viviane Rangel Ribeiro Manhães UCAM
  • Matheus Baptista de Souza Coutinho IFF

Resumo

Este artigo tem por objetivo realizar uma reflexão sobre a expansão de condomínios residenciais fechados em Campos dos Goytacazes e os consequentes limites que esta tipologia impõe para a configuração do direito à cidade. Temos como impulso uma mudança na escala para a experiência das chamadas “cidades médias”, como no caso de Campos, observando neste município a ampliação deste fenômeno dos condomínios residenciais fechados - o que vem acompanhado de toda uma gama de tensões e rearranjos urbanos em torno da produção social do espaço. Trataremos ainda da configuração da gestão municipal como agente modelador do território, que ao permitir ou se omitir frente a esta expansão – acaba por reforçar desigualdades espaciais.

 
Publicado
2019-11-26
Seção
GT-1: Reestruturação urbana e econômica na produção do espaço: agentes e process