OS ARRANJOS ESPACIAIS PRODUTIVOS: UM DEBATE INICIAL A PARTIR DA PETROBRAS

  • Francismar Cunha Ferreira Universidade Federal do Espírito Santo

Resumo

O trabalho realiza algumas proposições sumárias acerca do conceito arranjo espacial produtivo. Esse que corresponde a uma singular organização espacial e produtiva industrial que na busca por valorização de capital desenvolve uma divisão social do trabalho e uma organização espacial específica bem como produz e condiciona uma série de fluxos materiais e imateriais no espaço geográfico e implica em diversos efeitos sociais, econômicos, ambientais que em última instância contribuem para a produção e conformação de um espaço desigual e combinado. Para melhor compreensão do conceito faz-se uso de um estudo de caso da Petrobras no Brasil.

Biografia do Autor

Francismar Cunha Ferreira, Universidade Federal do Espírito Santo
Doutorando em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Possui licenciatura plena, bacharelado e mestrado em Geografia pela mesma universidade.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO (ANP). Anuário estatístico brasileiro do petróleo, gás natural e biocombustíveis. Ministério de Minas e Energia. Rio de Janeiro, 2018.

BENKO, Georges. A ciência regional. Oeiras, Portugal: Celta, 1999.

BRANDÃO, Carlos. Território e desenvolvimento. As múltiplas escalas entre o local e o global. São Paulo: Editora Unicamp, 2007:

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. 2. ed. São Paulo: Annablume, 2006.

IBGE: Censos demográficos. 2010.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro II. 1º. ed. São Paulo. Boitempo, 2014.

PESSANHA, Roberto Moraes. A relação transescalar e multidimensional “Petróleo-Porto” como produtora de novas territorialidades. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em Políticas e Formação Humana (PPFH). Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2017.

PIQUET, R. Indústria do petróleo e dinâmica regional: reflexões teórico-metodológicas. in: PIQUET, R.; SERRA, R. (Orgs). Petróleo e região no Brasil, o desafio da abundância. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

PROCHNIK. V. Cadeias produtivas e complexos industriais. in: KUPFER. D, HASENCLEVER, L (orgs.) - Economia Industrial: Fundamentos Teóricos e Práticas no Brasil. Rio de Janeiro Ed. Campus, 2002.

SIMON, Mohun. Divisão social do trabalho. In BOTTOMORE, Tom. Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2001.

SANTOS, M. Circuitos espaciais da produção: um comentário. In: SOUZA, Maria Adélia de; SANTOS, Milton (Org.). A construção do espaço. São Paulo: Nobel, 1986. p. 121-134.

ZANOTELLI, C. L., DOTA, E. M. e FERREIRA, F. C. A bacia urbano-regional do petróleo da zona costeira do Espírito Santo e do Rio de Janeiro. In: Anais do XV Simpósio de Geografia Urbana (XV Simpurb), Salvador 2017.

ZANOTELLI, C. L. MEDINA, J. e FERREIRA, F. C. A notícia como máquina de guerra: Análise sobre a Petrobras e as referências à produção de Petróleo e Gás nos Meios de Comunicação de Massa. No prelo. 2019.

Publicado
2019-11-26
Seção
GT-1: Reestruturação urbana e econômica na produção do espaço: agentes e process