A CRISE DO VALOR E A NOVA RACIONALIDADE NEOLIBERAL DA REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA AO ESTADO DE EXCEÇÃO

  • Evanio Santos Branquinho Universidade Federal de Alfenas-MG

Resumo

O presente trabalho discute sob o ponto de vista lógico e histórico os desdobramentos da forma valor no sistema produtivo, especialmente seus impactos sobre o trabalho vivo. A regressão histórica ocorre ao período da Revolução Industrial e ao liberalismo clássico, avançando até a fase atual do neoliberalismo e mundialização do capital. A título de estudo de caso, aborda-se a reestruturação produtiva no Estado de São Paulo, em sua articulação com as economias nacional e global, assim como suas implicações socioespaciais. No campo político, procura-se articular, como uma dessas implicações o aumento da violência, entre outros fatores, pela ação de um Estado policial e a militarização do espaço urbano.

Biografia do Autor

Evanio Santos Branquinho, Universidade Federal de Alfenas-MG
Sou professor adjunto no curso de Geografia há três anos na Universidade Fedral de Alfenas, no Instituto de Ciências da Terra

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Estado de exceção. São Paulo: Boitempo, 2004.

ARAUJO, Gabriela S. S. O populismo punitivo e autoritário do projeto de lei ''anticrime'' de Sérgio Moro. Carta Maior, 11.02.2019.

https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Estado-Democratico-de-Direito/O-populismo-punitivo-e-autoritario-do-projeto-de-lei-anticrime-de-Sergio-Moro/40/43235, acesso 22.03.2019

BATISTA, Vera Malaguti. Estado de polícia. In: KUCINSKI, Bernardo et al. Bala perdida: a violência policial no Brasil e os desafios para sua superação. São Paulo: Boitempo, 2015. p. 103-108.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS (SEADE). Mapa da Indústria Paulista. http://www.perfil.seade.gov.br/, acesso em 07.06.2019b.

HARVEY, David. O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

HARVEY, David. O novo imperialismo. São Paulo: Loyola, 2004.

HARVEY, David. Los límites del capitalismo y la teoría marxista. México: Fondo de Cultura Economíca, 1990.

KUCINSKI, Bernardo et al. Bala perdida: a violência policial no Brasil e os desafios para sua superação. São Paulo: Boitempo, 2015.

LEFEBVRE, Henri. La producción del espacio. España: Capitán Swing, 2013.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

LEFEBVRE, Henri. A vida cotidiana no mundo moderno. São Paulo: Ática, 1991.

LENCIONI, Sandra. Reestruturação urbano-industrial: centralização do capital e desconcentração da metrópole de São Paulo: a indústria têxtil. Tese em Geografia, FFLCH-USP, 1991.

MARX, Karl. Capítulo VI inédito de O Capital: resultados do processo de produção imediata. São Paulo: Centauro, 2010

MARX, Karl. Elementos fundamentales para la critica de la economía política (Grundrisse). Vol. II. México: Siglo Veintiuno, 1989.

POSTONE, Moishe. Tempo, trabalho e dominação social. São Paulo: Boitempo, 2014.

SAMPAIO, Silvia Selingard. Indústria e território em São Paulo: a estruturação do Multicomplexo Territorial Industrial Paulista 1950-2005. Campinas: Alínea, 2009.

TELES, Edson. A produção do inimigo e a insistência do Brasil violento e de exceção. In: GALLEGO, Esther S. O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018, p. 65-72.

Publicado
2019-12-06
Seção
GT-9: A produção do urbano: abordagens e métodos de análise