A Política do atraso - Caso Linha 4 Amarela do Metrô de São Paulo

  • Gullit Torres Dias Universidade de São Paulo

Resumo

Este artigo visa analisar o histórico e os atrasos referentes à implantação da linha 4 – Amarela do Metrô de São Paulo, que, além de considerada estruturante dentro do planejamento de transporte da capital por se conectar às demais linhas, a sua criação é considerada a primeira Parceria Público Privada do Brasil, que objetiva a rapidez na implantação dos serviços, saindo da esfera pública. A linha ainda é marcada por sucessivos atrasos referentes à sua inauguração em suas fases, sendo postergada pelo governo diversas vezes, ora por problemas técnicos, políticos ou econômicos.

Biografia do Autor

Gullit Torres Dias, Universidade de São Paulo

Universidade de São Paulo

Programa de Mestrado em Geografia Humana

Áreas: Planejamento Regional e Urbano, Geografia Urbana e Planejamento dos Transportes

 

Referências

BRASIL. Congresso Nacional. Resoluções do Senado Federal, tomo II, 1960 – 1967, Brasília – Brasil. 1974a

_______. Congresso Nacional. Resoluções do Senado Federal, tomo III, 1968 – 1971, Brasília – Brasil. 1974b

BRUTON, M. J . Introdução ao Planejamento dos Transportes. São Paulo: Editora Interciência. 1ª ed. 1979. 206p.

CALVETE, F. J. V. Transportes Urbanos. Madrid: Dossat, S.A; TYPSA. 1ª ed. 1970. 330p.

COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO. A Linha 4. São Paulo. 1993.

________________________________________________. EIA – Estudo de Impacto Ambiental – Linha 4 – Amarela – Caracterização do Empreendimento. Protran Engenharia. São Paulo. Volume 01. 1994.

______________________________________________. Metrô de São Paulo: Linha 4 – Amarela Morumbi – Luz – Projeto Funcional. São Paulo. 1997.

______________________________________________. Pesquisa Origem e Destino 2017 – Região Metropolitana de São Paulo. São Paulo. 2017.

______________________________________________. Sítio que apresenta os dados de infraestrutura, demanda e obras do metrô de São Paulo. Disponível em: http://www.metro.sp.gov.br/.

GIOVANNI, G. D. Núcleo de Estudos de Políticas Públicas – NEPP. Campinas, n. 82. 2009. pp. 1 – 32.

LAGONEGRO, M. A. Metrópole sem Metrô: Transporte Público, Rodoviarismo e Populismo em São Paulo (1955 – 1965). Tese de Doutorado. São Paulo, FAU – USP. 2003. 523p.

MOREIRA, L. C. As Parcerias Público-Privadas e o Desenvolvimento Territorial: uma análise do setor metroferroviário na Região Metropolitana de São Paulo. Dissertação de Mestrado. São Caetano do Sul, USCS. 2012. 99p.

MUNIZ, C. A cidade e os trilhos: O metrô de São Paulo como desenho urbano. Dissertação de Mestrado. São Paulo, FAU-SP. 2005. 271p.

NIGRIELLO, A. O valor do solo e sua relação com a acessibilidade. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro, UFRJ. 1977.

PIERINI, C. R. Planos e projetos para o transporte de São Paulo: o Metropolitano, as decisões econômicas, as priorizações e as fontes de financiamento. Dissertação de Mestrado. São Carlos, IAU – USP. 2014. 130p.

SÃO PAULO. EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL Nº 42325212 (2006). Concessão Patrocinada para Exploração da Operação dos Serviços de Transporte de Passageiros da Linha 4 – Amarela do Metrô de São Paulo, Abrangendo de Luz até Taboão da Serra. São Paulo. 2006.

SARAVIA, E. “Introdução à Teoria da Política Pública. In: SARAVIA, E. et. FERRAREZI, E. (org.). Políticas Públicas: Coletâneas – Volume 1. Brasília, ENAP. 2006. p. 21 – 42.

VASCONCELLOS, E. A. Mobilidade Urbana e Cidadania. São Paulo: Editora SENAC. 2012. 216p.

VILLAÇA, F. et. ZIONI, S.M. “Os Transportes sobre Trilhos na Região Metropolitana de São Paulo: O Poder Público Acentuando a Desigualdade”. In: Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU (org.). 1º Concurso de Monografias - A Cidade nos Trilhos: transporte metroferroviário, mobilidade e desenvolvimento urbano – monografias premiadas. Rio de Janeiro, CBTU. 2005. 223p.

Publicado
2019-12-02
Seção
GT-5: Mobilidade, migração e espaço urbano