POLÍTICA DE REFÚGIO NA ALEMANHA: A INCORPORAÇÃO DA CIDADE SANTUÁRIO NA COMPOSIÇÃO DO “BOM” REFUGIADO

  • ZELIA AUREA SILVA DE AZEVEDO THOMAZ Colégio Pedro II

Resumo

Este trabalho analisa a política de refúgio alemã a partir de 2014, discutindo as estratégias para a transmutação do refugiado em um imigrante econômico a partir das políticas de integração executadas tanto na escala nacional, quanto em escala local, com destaque para a cidade-estado de Hamburgo. Para isso, será necessário compreender a motivação para o acolhimento de refugiados na Alemanha, avaliar a estratégia de transmutação do viés humanitário do refúgio para o viés econômico no contexto alemão, analisar as políticas trabalhistas e de “integração”, já que o país passou a modificar várias leis nacionais. Nesse sentido, a pesquisa transporta o conceito para contexto alemão, ao buscar analisar o papel de Hamburgo, que desenvolveu um conceito de integração próprio, por meio de práticas santuário na recepção e permanência de refugiados e solicitantes de asilo.

Biografia do Autor

ZELIA AUREA SILVA DE AZEVEDO THOMAZ, Colégio Pedro II
Departamento de Geografia - Colégio Pedro II

Referências

BAGELMAN, Jennifer. Subverting the Spectacle of Sanctuary. University of Victoria – Thesis. 2006.

BASFI - Behörde für Arbeit, Soziales, Familie und Integration. Hamburger Integrationkonzept 2017. 2017. Disponível em: http://www.hamburg.de/contentblob/128792/4fa13860dcb7a9deb4afdfb989fc78e2/data/konzept.pdf. Acesso em 15/11/2017.

BAUDER, Harald. Sanctuary Cities: Polices and Practices in a international perspective. International Migration, vol. 55. 2017.

BUNDESMINISTERIUM FÜR ARBEIT UND SOZIALES. Das neue Integratongesetz. 2017. Disponível em: http://www.bmas.de/SharedDocs/Downloads/DE/PDF-Meldungen/2016/hintergrundpapier-zum-integrationsgesetz.pdf;jsessionid=47D75B3C0BF081A32FD60A1E343E4EC5?__blob=publicationFile&v=6. Acesso em 10/03/2018.

EASO. Annual Report on the Situation of Asylum in the European Union 2014. 2015. Disponível em: https://www.easo.europa.eu/sites/default/files/public/EASO-Annual-Report-2014.pdf. Acesso em 06 de março de 2017.

EASO. Annual Report on the Situation of Asylum in the European Union 2015. 2016. Disponível em:https://www.easo.europa.eu/sites/default/files/public/EN_%20Annual%20Report%202015_1.pdf. Acesso em 06 de março de 2017.

HEUSER, Helene. Städte der Zuflucht. 2017a. Disponível em: http://fluechtlingsforschung.net/stadte-der-zuflucht/. Acesso em 02/11/2017.

HEUSER, Helene. Sanctuary Cities in Deutschland: Widerstand gegen die Abschiebepolitik der Bundesregierung, VerfBlog, 2017b. Disponível em: https://verfassungsblog.de/sanctuary-cities-in-deutschland-widerstand-gegen-die-abschiebepolitik-der-bundesregierung/. Acesso em 02/11/2017.

KATZ, Bruce; NORING, Luise; GARRELTS, Nantke. Cities and Refugees – The German Experience. Centennial Scholar Iniciative at Brookings, 2016. p. 1-29. Organização para a Economia, Cooperação e Desenvolvimento – OECD. How are refugees faring on the labour market in Europe? 2016. Disponível em: https://www.brookings.edu/wp-content/uploads/2016/09/cs_20160920_citiesrefugees_germanexperience.pdf. Acesso em 19/09/2017.

LIEBIG, Thomas. The Labour Market Integration of Immigrants in Germany, OECD Social, Employment and Migration Working Papers, No. 47, OECD Publishing, Paris. 2007. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1787/238411133860. Acesso em 10/04/2018

OCDE. Labour Market Integration of Refugees in Germany. March 2017. Disponível em: https://www.oecd.org/els/mig/Finding-their-Way-Germany.pdf. Acesso em 23/05/2018.

ORRENIUS, Pia, Genevieve Salomon. How labor Market policies shape immigrants’ opportunities. Economic Letter, vol 1. N. 7, 2006. Disponível em: https://www.dallasfed.org/research/economists/~/media/documents/research/eclett/2006/el0607.pdf. Acesso em 23/05/2018.

SAYAD, Abdelmalak. A imigração ou os paradoxos da alteridade. Edusp, 1999.

Publicado
2019-12-02
Seção
GT-5: Mobilidade, migração e espaço urbano