COMÉRCIO INFORMAL NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DO RIO DE JANEIRO

  • Renata Braga dos Santos Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Resumo

O mundo do trabalho vem passando por uma grande precarização e desestruturação, fruto da ascensão neoliberal. Como resultado, a informalidade vem aumentando gradativamente como fator de ocupação e substituição das formas de trabalho tipicamente assalariadas. Esse artigo tem por finalidade trazer o debate acerca do Comércio Informal dos trens da Supervia do Rio de Janeiro e identificar as dinâmicas sociais e econômicas que ocorrem nesse modal de transporte.

Biografia do Autor

Renata Braga dos Santos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Meu nome é Renata Braga dos Santos, tenho 24 anos, sou natural do Rio de Janeiro-RJ. Graduanda em Geografia na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Agronomia, Departamento de Geografia. Estou cursando o 9º período na modalidade de Licenciatura Plena e pretendo me formar tanto na licenciatura, quanto no bacharelado.

Referências

SANTOS, Milton (2004). O espaço dividido. Os Dois Circuitos da Economia Urbana dos Países Subdesenvolvidos,1979. p. 23-27 e 147-154.

ANTUNES, Ricardo. (2007) POCHMANN, Marcio. A desconstrução do trabalho e a explosão do desemprego estrutural e da pobreza no Brasil, p. 195-208.

LOPES, Nei. Guimbaustrilho e outros mistérios suburbanos, 2001.

SANTOS, Milton. LAURA SILVEIRA, Maria (2006). O Brasil. Território e Sociedade no ínicio do século XXI. Capítulo XI: O território do brasileiro do passado e presente, p. 264-265

JORDÃO, Ana Paula. STAMPA, Inez (2015). Precarização no “mundo do trabalho”: a experiência dos ambulantes dos trens da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

ANTUNES, Ricardo. (2012) A nova morfologia do trabalho no Brasil. Reestruturação e precariedade. Disponível em <https://nuso.org/articulo/a-nova-morfologia-do-trabalho-no-brasil-reestruturacao-e-precariedade/> Este artículo es copia fiel del publicado en la revista Nueva Sociedad.

MAIA, Carlos Eduardo (1999). Ilegalidade e Informalidade: Faces e Disfarces da Economia Urbana.

Publicado
2019-12-01
Seção
GT-4:­ Economia urbana, trabalho, comércio e consumo