A IMPLEMENTAÇÃO DO COMPLEXO LOGÍSTICO INDUSTRIAL DO PORTO DO AÇU E OS “DESTERRITORIALIZADOS” DO 5º DISTRITO DE SÃO JOÃO DA BARRA

  • Giovana de Fátima Viana dos Santos Instituto Federal Fluminense
  • Zandor Gomes Mesquita Instituto Federal Fluminense

Resumo

O Complexo Logístico Industrial do Porto do Açu (CLIPA) é um empreendimento de grande porte na área de logística e está instalado na Região Norte Fluminense, no 5° distrito do município de São João da Barra (RJ). Para sua implementação uma articulação entre o público e o privado foi implementada, com o intuito de satisfazer suas necessidades, principalmente no que tange a área. Tal fato causou impactos nas dinâmicas territoriais do 5° distrito, gerando a desapropriação de diversos residentes. Em busca de entender as singularidades desse processo, o presente artigo, à luz do conceito de território, com ênfase nas discussões relacionadas a territorialização, desterritorialização e reterritorialização, foca suas análises nos desapropriados do CLIPA. Para melhor compreensão do processo foram realizadas entrevistas com moradores afetados pelo processo de desapropriação.

Biografia do Autor

Giovana de Fátima Viana dos Santos, Instituto Federal Fluminense
Pós-graduanda em Ensino de Geografia pelo Instituto Federal Fluminense (IFF). Graduada em Licenciatura em Geografia pelo Instituto Federal Fluminense (IFF).
Zandor Gomes Mesquita, Instituto Federal Fluminense
Doutorando em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Possui Mestrado em Políticas Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Licenciado em Geografia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF), Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF). Atua como professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Humana e Cultural e Ensino de Geografia Física, atuando nos seguintes temas: paisagem cultural, patrimônio industrial, ensino de climatologia em sala de aula, geografia econômica e regional.

Referências

FERREIRA, A. B. H. Aurélio século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do fim dos territórios à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

PESSANHA, R. M.; GOMES FILHO, H.; QUINTO JÚNIOR, L. P.; SILVA NETO, R.; OLIVEIRA, F. G. A gênese do Complexo Logístico Industrial do Porto do Açu: oportunidades e desafios para o desenvolvimento da Região Norte Fluminense. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 10, n. 2, p. 153-181, mai-ago/2014.

Relatório de Impacto Ambiental – RIMA. Consultoria Ambiental Ltda. – CAL. MMX. MPC – Mineração, Pesquisa e Comércio Ltda. Volume único, agosto, 2006.

Relatório de Impacto Ambiental – RIMA. ECOLOGUS Engenharia Consultiva Ltda. LLX Açu Operações Portuárias S/A, Porto do Açu, Pátio Logístico e Operações Portuárias, 2010.

SANTOS, Milton; SOUZA, Maria Adélia Aparecida de; SILVEIRA, Maria Laura (Org.). Território: globalização e fragmentação. 4. ed. São Paulo: HUCITEC, 1998.

SANTOS, G. F. V.; NEIVA, T. T. S.; A implementação do Complexo Logístico Industrial do Porto do Açu e o processo de desterritorialização e reterritorialização dos moradores do 5° distrito do município de São João da Barra, 2019. Monografia (Graduação em Licenciatura em Geografia) – Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Fluminense, Campos dos Goytacazes, 2019.

Publicado
2019-12-07
Seção
GT-12: Estado, grandes projetos e planejamento corporativo