A GENTRIFICAÇÃO DA CRACOLÂNDIA NA CIDADE DE SÃO PAULO: A MATERIALIZAÇÃO DO PENSAMENTO HIGIENISTA.

  • Roberta Custodio Cavedini Universidade Estadual de Campinas.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a relação entre as políticas urbanas implementadas na área da Cracolândia, na região central da cidade de São Paulo, reconhecida historicamente e estigmatizada pela ocupação de usuários de drogas, principalmente o crack, pela presença de prostituição e de moradores em situação de rua. Essa pesquisa tomou como objeto as intervenções promovidas pelo Programa Redenção, particularmente no período da gestão do prefeito João Doria, como uma tentativa de promoção da gentrificação da Cracolândia e materialização do pensamento higienista.

Biografia do Autor

Roberta Custodio Cavedini, Universidade Estadual de Campinas.
Graduanda em bacharelado e licenciatura do curso de Geografia do Departamento de Geografia do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ABREU, Maurício de Almeida. Pensando a cidade no Brasil do passado. In Castro, Iná Elias et al (orgs). Brasil; questões atuais da reorganização do território, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996, 145- 183p.

ANTONINI, A. V. Marcas da memória: o DOPS nas políticas de preservação do patrimônio cultural no centro de São Paulo.2012. Trabalho de Graduação Individual, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

CORRÊA, L. S. Cidades, práticas higienistas e produção do espaço urbano, 2011.Anais XVI Encontro Nacional dos Geografos. Porto Alegre, 2011. Disponível em: Acesso em: 24 nov. 2017.

COSTA, Maria Clélia Lustosa. A cidade e o pensamento médico: uma leitura do espaço urbano. Mercator, Fortaleza, v. 1, n.2, jan. 2009. ISSN 1985-2201. Disponível em: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/181>. Acesso em: 10jan. 2019

COSTA, Maria Clélia Lustosa. O discurso higienista definindo a cidade. Mercator, Fortaleza, v.12, ni. 29, 2013, pp.51-67.

FOUCAULT, Michel.Microfísica do Poder. 1984, Rio de Janeiro: Ed. Graal, 4 ed. 1984. 296p.

FRÚGOLI JR., Heitor."Intervention dans les espaces centraux des villes brasilennes, le case de São Paulo". En: H. Rivère D'Arc & M. Memoli (ed..), Le pari urbain em Amérique latine.Paris: Armand Coli, 2006, pp. 133-147.

FRÚGOLI, JR. Heitor, SKLAIR, Jessica. “O bairro da Luz em São Paulo: questões antropológicas sobre o fenômeno da ‘gentrification’”.In: Cuadernos de Antropología Social 2009; pp.119-136.

FURTADO, Carlos Ribeiro. Intervenção do Estado e (re)estruturação urbana. Um estudo sobre gentrificação. Cad. Metrop. [online]. 2014, vol. 16, n. 32, pp. 341-364. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/cm/v16n32/2236-9996-cm-16-32-0341.pdf > Acesso em: 11 abr. 2019.

G1, São Paulo. Prefeitura de SP afirma que projeto Nova Luz é tecnicamente inviável.G1 São Paulo, 24 de janeiro de 2013. Disponível em < http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/01/prefeitura-de-sp-afirma-que-projeto-nova-luz-e-tecnicamente-inviavel.html > Acesso em: 24 abr. 2018

GLASS, Ruth. London: Aspects of Change. London: Centre for Urban Studies and MacGibbon and Kee. 1964.

KARA JOSÉ, Beatriz. Políticas culturais e negócios urbanos: a instrumentalização da cultura na revalorização do centro de São Paulo (1975-2000), 2007.São Paulo: Annablume; Fapesp, 277p.

LEITE, Rogerio Proença. Contra-usos da Cidade: lugares e espaço público na experiência urbana contemporânea. 2º Edição Revista, Ampliada e com posfacio.. 2, ed. Campinas: Ed. UNICAMP, 2007, v.1. 390p.

MACHADO, Gisele Cardoso de Almeida. A difusão do pensamento higienista na cidade do Rio de Janeiro e suas consequências espaciais.Anais do XXVI Simpósio Nacional de História. São Paulo, julho, 2011. Disponível em:http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1308340710_ARQUIVO_GiseleCardoso deAlmeidaMachado-ANPUH.pdf.> Acesso em: 11 jan. 2019.

MARICATO, Ermínia. Tudo o que há por trás do Projeto Nova Luz.Outras Mídias, 30 de janeiro de 2012. Disponível em:< https://outraspalavras.net/outrasmidias/terror-imobiliario-ou-expulsao-dos-pobres/> Acesso em: 21 abr.2019.

MATTOS, C. A. “Redes, nodos e cidades: transformação da metrópole latino-americana.”IN: RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz (org). Metrópoles: entre a coesão e a fragmentação, a cooperação e o conflito.São Paulo: Editora Perseu Abramo; Rio de Janeiro, 2004, pp. 157-196.

NIGRO, Cíntia. Revitalização urbana em áreas centrais: discussões sobre o caso da cidade de São Paulo. In: Revista Geousp – Espaço e Tempo, n.o 06, 1999.

OLIVEIRA SOBRINHO, Afonso Soares de. São Paulo e a ideologia Higienista entre os séculosXIX e XX: a utopia de civilidade. Sociologias[online]. 2013, vol.15, n.32, pp.210-235.Disponível.em:<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S151745222013000100009&script=sci_abstract&tlng=pt>Acesso em: 27 jan. 2019.

PAES, Maria Tereza Duarte.Gentrificação, preservação patrimonial e turismo: os novos sentidos da paisagem urbana na renovação das cidades.Geousp- Espaço e Tempo (Online), v.21, n.3, p.667-684,dez.2017..Disponível.em:< http://www.revistas.usp.br/geousp/%20article/view/128345%3E.%20doi:%2010.116 06/issn.2179-0892.%20geousp.2017.128345>Acesso em: 13 abr. 2018.

PREFEITURA, São Paulo. “Saiba mais sobre o Programa Redenção” Disponível em < http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/programas/index.php?p=23 9138> Acesso em: 21 abr. 2018.

PREFEITURA, São Paulo. “Projeto Redenção - Ações de Urbanismo.”Disponível.em:< http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/wp-content/uploads/2017/07/ProjetoReden%C3%A7%C3%A3o-Luz_A%C3%A7%C3%B5es-de-Urbanismo_29.05.17_.pdf > Acesso em: 24 abr. 2018.

RAGO, Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar e a resistência anarquista. São Paulo: Paz e Terra, 2014. 280p.

RODRIGUES, AntonioEdmilson Martins; OAKIM, Juliana. As reformas urbanas do Rio de Janeiro: uma história de contrastes. Revista Arquivo Nacional (Rio de Janeiro), 2015. Disponível em: <http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/589/587>Acesso em: 17 jan. 2019.

ROLNIK, Raquel. São Paulo na Virada do SéculoIn: Espaço e Debates, n° 17: 44-53. São Paulo: HERU, 1986

RONCAYOLO, Marcel. La ville et ses territoires. Paris, Gallimard, 1990.

________. “Mutações do espaço urbano: a nova estrutura da Paris haussmanniana.” Projeto História espaço e cultura.”Revista do Programa de Pós-Graduação do Departamento de História da PUC, SP. São Paulo, n. 18, 1999.

RUBINO, Silvana. Enobrecimento urbano. In: FORTUNA, Carlos; LEITE, Rogério Proença, Plural de cidade: léxicos e culturas urbanas. Coimbra: Edições Almedina, SA. 2009

RUI, Taniele. Nas tramas do crack, etnografia da abjeção. São Paulo: Terceiro Nome, 2014. 400p.

RUI, T.; FIORE, M; TÓFOLI, L. F. Pesquisa preliminar de avaliação do Programa ‘De Braços Abertos’. Plataforma Brasileira de Política de Drogas (PBPD)/ Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM). São Paulo, 2016.

SANTOS, Milton. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos.São Paulo: Edusp, 2004. 433p.

SMITH, Neil. (1979). Toward a Theory of Gentrification: A Back to the City Movement by Capital not People. Journal of the American Planning Association, n. 45, p.538-548.

SMITH, Neil. (1996).New Urban Frontier: Gentrification and the Revanchist City. Routledge, New York.

SMITH, Neil. A gentrificação generalizada: de uma anomalia local à "regeneração" urbana como estratégia global. In: BIDOU-ZACHARIASEN, C. (Coord.). De volta à cidade- dos processos de gentrificação às políticas de "revitalização" dos centros urbanos. São Paulo: Annablume, 2006, p.59-87.

SOMBINI, Eduardo Augusto Wellendorf. A revalorização contemporânea do centro de São Paulo: agentes, concepções e instrumentos da urbanização corporativa (2005-2012).2013.196f Dissertação mestrado- Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, 2013.

TEIXEIRA, L.F.; VASSALLO, L. ‘Inócua era a suposta política de recuperação de dependentes químicos’, reage governo Doria.Estadão, 04 abr. 2018. Disponível em:< https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/inocua-era-a-suposta-politica-de-recuperacao-de-dependentes-quimicos-reage-governo-doria/> Acesso em: 31 de janeiro de 2019.

VILLAÇA, Flávio José Magalhães. SistematizaçãoCrítica da Obra Escrita sobre Espaço Urbano.São Paulo: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo- Universidade de São Paulo. (Livre Docência), 1989.

VIANNA, André Mari. Características principais do Projeto Nova Luz: Atores e discursos envolvidos. 2016. 71f. Tese de Graduação- Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, 2016.

Publicado
2019-12-07
Seção
GT-12: Estado, grandes projetos e planejamento corporativo