ESTRUTURAÇÃO URBANA E VULNERABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: o Caso de uma Cidade Média da Amazônia Brasileira

  • Maria Júlia Veiga da Silva Universidade Federal do Oeste do Pará Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Resumo

O presente artigo apresenta uma discussão que relaciona estruturação/organização do espaço urbano a vulnerabilidade socioambiental. O referencial teórico adotado inclui autores que elaboraram proposições teóricas críticas sobre a produção do espaço urbano, considerando a organização espacial urbana como um reflexo e uma condição para a reprodução das relações sociais de produção; além de elencar discussões acerca dos fatores responsáveis pela vulnerabilização socioambiental urbana; segregação socioespacial e a injustiça ambiental urbanas também são referenciadas neste trabalho. O referencial empírico é a cidade de Santarém no Oeste do estado do Pará. O fenômeno abordado para refletir sobre a vulnerabilidade socioambiental são as inundações e alagamentos pelos quais a cidade passa todos os anos durante o período chuvoso. 

 

Biografia do Autor

Maria Júlia Veiga da Silva, Universidade Federal do Oeste do Pará Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

PROFESSORA DE GEOGRAFIA HUMANA NO PROGRAMA DE CIÊNCIAS HUMANAS DA UFOPA

 

Referências

ACSELRAD, H. Vulnerabilidade ambiental, processos e relações. Comunicação ao II Encontro de produtores de informações sociais, econômicas e territoriais. FIBGE, Rio de Janeiro, 24/08/2006.

______; MELLO, C. C. do A.; BEZERRA, G. das N. O que é justiça ambiental. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

BECK, U. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. Editora 34, 2015.

BIRKMANN, J. Measuring vulnerability to promote disaster-resilient societies: conceptual frameworks and definitions. In: BIRKMANN, J (ed.) Measuring vulnerability to natural hazards: towards disaster resilient societies. New Deli, India: Teri Press, 2006.

CASTELLS, M. O Fenômeno Urbano: delimitações conceituais e realidades históricas. In: ______. A questão urbana. 6ª edição. São Paulo: Paz e Terra, 2014. (p. 39-52).

CORREA R. L. Trajetórias geográficas. 2ª edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

______. O espaço urbano. 6ª impressão da 4ª edição. São Paulo: Ática, 2005. (Série Princípios).

CUTTER, S. L.; BORUFF, B. J.; SHIRLEY, W. L. Social Vulnerability to Environmental Hazards. Social science quarterly, volume 84, number 2, june, 2003.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. (tradução Raul Fiker). São Paulo: editora UNESP, 1991.

LEFEBVRE, H. Da Cidade à Sociedade Urbana. In: ______. A Revolução Urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002. (p. 15-32).

______. A cidade e o urbano. In: ______. Espaço e política: o direito à cidade II. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016. (p. 75-82). Texto original de 1971.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 8ª edição. Petrópolis-RJ: Vozes, 2011.

OJIMA, R.; MARANDOLA JR., E. O desenvolvimento sustentável como desafio para as cidades brasileiras. CADERNOS ADENAUER XIII (2012) Nº1.

OLIVEIRA, J. M. G. C. de. Expansão urbana e periferização de Santarém-Pa, Brasil: questões para o planejamento urbano. Diez años de câmbios en el Mundo, en la Geografia y en las Ciencias Sociales, 1999-2008. Actas del X Coloquio Internacional de Geocritica, Universidade de Barcelona, 26-30 de mayo de 2008 http://www.ub.es/geocrit/-xcol/268.htm. Acessado em 10/02/2016.

RIBEIRO, W. C. Justiça Espacial e Justiça Socioambiental: uma primeira aproximação. ESTUDOS AVANÇADOS 31 (89), 2017, p. 147-165.

THOURET, Jean-Claude. Avaliação, prevenção e gestão dos riscos naturais nas cidades da América Latina. In: VEYRET, I. (organizadora). Os riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente - 2ª edição. São Paulo: Contexto, 2015. (p. 83-112).

VEYRET, I; RICHEMOND, N. M. Definições e vulnerabilidades do risco. In: VEYRET, I. (organizadora). Os riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente - 2ª edição. São Paulo: Contexto, 2015. (p. 25-46).

VILLAÇA, F. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel / FAPESP / Lincoln Institute, 2001.

Publicado
2019-12-06
Seção
GT-9: A produção do urbano: abordagens e métodos de análise