O “LIXO” NOSSO DE CADA DIA: O CIRCUITO INFERIOR DA ECONOMIA URBANA E OS COMPRADORES DOS RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS COLETADOS INFORMALMENTE EM ITUIUTABA-MG.

Resumo

RESUMO: Os circuitos da economia urbana se configuram como uma nova forma de leitura e caracterização do espaço geográfico de países subdesenvolvidos. Nesse sentido, para uma melhor compreensão no que se refere a importância da coleta informal feita pelos catadores(as) de Ituiutaba-MG, esse estudo teve por  objetivo a investigação do Circuito da Economia Urbana no que se refere aos resíduos sólidos recicláveis coletados informalmente em Ituiutaba-MG pelas mãos dos catadores e a sua trajetória passando por seus atravessadores que encaminham os resíduos coletados informalmente até a indústria da reciclagem devolvendo-os ao mercado. Com base na coleta de dados obtidas em um trabalho de campo do tipo exploratório, a cidade de Ituiutaba possui 24 empresas que atuam no ramo da reciclagem, onde foram identificados quatro tipos de compradores, sendo eles o comprador primário, o intermediário, o final e a cooperativa de reciclagem. Nesse sentido os levantamentos e resultados encontrados nesse artigo, tendem a provocar discussões acerca do tema, contribuindo para futuras pesquisas sobre o circuito da economia urbana no que se refere aos catadores(as) informais. Palavras-chave: Circuito da Economia Urbana, Catadores, Resíduos Sólidos. ABSTRACT: The circuits of the urban economy are configured as a new way of reading and characterizing the geographic space of underdeveloped countries. In this sense, for a better understanding of the importance of informal collection by Ituiutaba-MG collectors, this study aimed to investigate the Circuit of Urban Economy with regard to recyclable solid waste collected informally in Ituiutaba-MG by the hands of the scavengers and its trajectory passing through its intermediaries who forward the waste collected informally to the recycling industry returning them to the market. Based on the data collection obtained in an exploratory fieldwork, the city of Ituiutaba has 24 companies that work in the recycling sector, where four types of buyers were identified, being the primary buyer, the intermediary, the final and the recycling cooperative. In this sense, the surveys and results found in this article tend to provoke discussions about the theme, contributing to future research on the urban economy circuit in relation to informal scavengers. Key words: Circuit of Urban Economy, Waste Pickers, Solid Waste. 

Biografia do Autor

Ludmylla Arantes Andrade, Universidade Federal de Uberlandia Programa de Pós-graduação em Geografia do Pontal
Mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Geografia do Pontal - PPGEP onde atua na área de Projetos de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos - PGRSU. 
Antonio de Oliveira Junior, Universidade Federal de Uberlândia Programa de Pós-graduação em Geografia do Pontal Curso de Geografia
Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), Mestre em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (2004) e Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011) Atualmente é Professor do Curso de Geografia da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal da Universidade Federal de Uberlândia, na Cidade de Ituiutaba, Minas Gerais onde é pesquisador do Observatório das Cidades, grupo de pesquisa cadastrado no CNPQ. Coordena o "GETERJE - geoeconomia, território, justiça espacial", grupo de estudos inserido no Observatório das Cidades. Minhas áreas de interesse são: Planejamento e Gestão do Território, Pensamento Geográfico Urbano Brasileiro, Planejamento Urbano e Gestão de Cidades e Políticas Sociais e Território. Membro do Conselho Editorial da Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium, Ituiutaba (MG)

Referências

REFERÊNCIAS

BRASIL. Relatório de desenvolvimento humano: globalização com uma face humana. Lisboa: Tricontinental, 1999.

PORTO, M. F. S., JUNCÁ, D. C. M., GONCALVES, R. S., & FILHOTE M. I. F. Lixo, trabalho e saúde: Um estudo de caso com catadores em um aterro metropolitano no Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 20 (6), 2004.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Lucita, 1996.

______. A Questão do meio ambiente: desafios para a construção de uma perspectiva transdisciplinar. Revista Geotextos: UFBA. v.1, n.1, 2005.

______. Metamorfoses do espaço habitado: Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Geografia. São Paulo: Hucitec, 1988.

______. O Espaço do Cidadão. São Paulo: Nobel, 1987. p. 142

______. Os espaço dividido: Os dois circuitos da economia dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.

______. Pensando o Espaço do Homem. 5. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

______.Pobreza Urbana. São Paulo: Hucitec, 1979

______. Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como método. Boletim Paulista de Geografia. São Paulo: AGB, 1977

______. Técnica, espaço, tempo: Globalização e meio técnico-científico-informacional. São Paulo: Hucitec, 1996.

VALLINI, G. A gestão de resíduos em um mundo com recursos limitados, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

VIANA, N. Catadores de lixo: renda familiar, consumo e trabalho precoce. Boletim Goiano de Geografia. Goiânia, 2016.

Seção
GT-4:­ Economia urbana, trabalho, comércio e consumo