Configuração Territorial, Memória e Patrimônio no Distrito de José de Alencar -Ceará-Brasil

  • Charles Ibraim Cardoso Duarte Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, campus Iguatu. https://orcid.org/0000-0002-6636-6051
  • Jonas Lima Maciel
  • Cleiton Marinho Lima Nogueira

Resumo

Este artigo objetiva realizar um resgate histórico da formação territorial do distrito de José de Alencar (Iguatu – Ceará) identificando a presença de objetos espaciais em sua configuração territorial que ajudam a revelar parte da história do distrito. O artigo apresenta o contexto e os principais agentes que atuaram na ocupação do território, com ênfase nos processos socioespaciais que ocorreram no final do século XIX e início do século XX, período em que se registra o crescimento populacional e econômico do distrito, em virtude do aumento da importância da produção de algodão na economia cearense. Os procedimentos de pesquisa incluíram: revisão bibliográfica sobre rede urbana cearense e pequenas cidades, análise de documentos históricos, religiosos, escritos e iconográficos, entrevistas com estudiosos da história de Iguatu e visitas a campo para identificação e mapeamento de objetos geográficos representativos da história do distrito. Conclui-se que a partir do resgate histórico do distrito de Alencar pode-se entender melhor os processos de formação da rede urbana cearense e dos pequenos aglomerados humanos no sertão nordestino.

   

Palavras-chave: Patrimônio, espaço geográfico, rugosidade.

Referências

ABREU, Maurício de Almeida. Sobre a memória das cidades. In: Revista Território. Rio de Janeiro, UFRJ/Laget, v. 3, n. 4, p. 5- 26, jan./jun., 1998.

ARAGÃO, Raimundo Batista. Iguatu: História. Fortaleza, COPCULTURA, 1998.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO CEARÁ, 2019. Disponível em: http://www.al.ce.gov.br/agencia/noticia_completa.php?codigo=13417. Acesso em: 19/06/2019.

DANTAS, E. W. C. . Mar à Vista: estudo da maritimidade em Fortaleza. 2. ed. Fortaleza: Edições UFC, 2011. v. 1. 100p

DANTAS, E. W. C. . Rede urbana colonial cearense: uma crítica à noção de rede dendrítica. Revista do Instituto do Ceará , v. 120, p. 145-170, 2006.

ENCICLOPÉDIA dos municípios brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 1959. v. 16 p. 260-269. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv27295_16.pdf Acesso em: 20/06/2019.

GIRARDI, Eduardo Paulon. Atlas da Questão Agrária Brasileira. Disponível em: http://www2.fct.unesp.br/nera/atlas/configuracao_territorial.htm. Acesso em 06/07/2019.

JUCÁ NETO, Clovis Ramiro. PRIMÓRDIOS DA REDE URBANA CEARENSE (the earliest prime of the urban system formation in Ceará). Mercator, Fortaleza, v. 8, n. 16, p. 77 a 102, oct. 2009. ISSN 1984-2201. Available at: <http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/40>. Date accessed: 08 mar. 2019.

LIMA, Átila Menezes. A Geografia histórica de Iguatu-CE: Uma análise da cultura algodoeira de 1920 a 1980. Dissertação (Programa de pós-graduação em Geografia-UECE) Fortaleza, 2011.

MONTENEGRO, José Hilton Lima Verde. A estrada de ferro de Iguatu- 100 anos, Fortaleza:expressão Gráfica e Editora, 2010.

________ . Dr. Montenegro: família, história e medicina. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2017.

NOGUEIRA, Alcântara. Iguatu: Memória sócio-histórico-econômica. 2 ed. Fortaleza: [s.n.], 1985.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: EDUSP, 2002.

SOUZA, Maria Salete de. Segregação socioespacial em Fortaleza. In: . In: SILVA, José Borzacchiello da; DANTAS, Eustógio Wanderley Correia; ZANELLA, M. E.; MEIRELES, A. J. de A. (orgs.). Litoral e Sertão, natureza e sociedade no Nordeste brasileiro. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2006.

VERDE, Wilson Holanda Lima. Entrevista realizada no dia 01-02-2019. Entrevista em lócus.

Publicado
2019-12-06
Seção
GT-8: Geografia histórica urbana