A GEOGRAFIA NOS DOCUMENTOS: A TRAJETÓRIA DO BARÃO DE STUDART

  • MARIA CLELIA LUSTOSA COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA

Resumo

Guilherme Studart deixou além de um riquíssimo arquivo com milhares de documentos que contribuíram para os estudos sobre o estado, uma vasta obra, com inúmeros livros e artigos, além de notas, efemérides, documentos inéditos, publicados nas revistas do Instituto do Ceará e da Academia Cearense de Letras, fontes indispensáveis a todo pesquisador da História e Geografia regional. Neste artigo, destacamos o de colecionador de documentos, com intensa correspondência com pesquisadores nacionais e internacionais e sua contribuição na sistematização de documentos relativos a Geografia do Ceará.

Biografia do Autor

MARIA CLELIA LUSTOSA COSTA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA
DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DA UFC

Referências

BATISTA, Paula Virgínia Pinheiro, Organizando a vida em papéis: a coleção Studart. Anais do III Seminário Internacional História e Historiografia. X Seminário de Pesquisa do Departamento de História – UFC. Fortaleza, 01 a 03 de outubro de 2012.

CAPEL, Horacio. Una geografia histórica para construir el futuro. Scripta Nova Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales Universidad de Barcelona. Vol. X, núm. 218, 1 de agosto de 2006. http://www.ub.es/geocrit/sn/sn-218.htm

CLAVAL, Paul. La Geographie Culturelle. Paris: Editions Nathan, 1995.

CLAVAL Paul. La logique des villes. Essai d’urbanologie. Paris: LITEC, 1981.

CLAVAL Paul. A volta do cultural na geografia humana. Fortaleza: Mercator-Revista de Geografia da UFC, Fortaleza, ano I, nº. 1, 2002.

COSTA, Maria Clélia Lustosa. A geografia nos arquivos do Barão. In: BEZERRA, José Augusto. Arquivos do Barão. Fortaleza: Instituto do Ceará, 2010.

COSTA, Maria Clélia Lustosa. A cidade e o pensamento médico. Revista Mercator – Revista de Geografia da UFC. Fortaleza: UFC, ano 1, número 2, 2002.

FERNANDES, Antônio Carlos Sequeira; SCHEFFLER, Sandro Marcelo - A Comissão Geológica do Império e os crinoides fósseis do Museu Nacional/UFRJ, Rio de Janeiro, Brasil. Filosofia e História da Biologia, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 121-139, 2014.

FERNANDES NETO, Manoel de Sousa. Senador Pompeu: um geógrafo do poder no Império do Brasil. Rio de Janeiro. Ed. Consequência, 2018

OLIVEIRA, Almir Leal de. O litoral do Nordeste do Brasil como objeto científico darwinista: as prospecções de John Casper Branner, 1899-1911. Hist. cienc. saude-Manguinhos [online]. 2014,

PEIXOTO, Afrânio. Clima e saúde: introdução biogeográfica à civilização brasileira. São Paulo: Nacional, 1938.

RODRIGUES, José Honório. Introdução do Índice Anotado da Revista do Instituto do Ceará (Do Tomo I ao LXVIII), 1887-1954. “A Historiografia Cearense na Revista do Instituto do Ceará”. José Honório Rodrigues e Leda Boechat Rodrigues (Orgs.). Fortaleza: ABC Editora, 2002.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. Paulo: Hucitec, 1988.

STUDART, Guilherme (Barão). Diccionário bio-bliográfico cearense (3 volumes). Fortaleza, Typo-lithographia a vapor, 1910. Edição Fac-simile, Fortaleza, Ediçoes UFC, 1980.

STUDART, Guilherme (Barão). Notas para a História do Ceará. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2004.

STUDART, Guilherme (Barão). Climatologia, Epidemias e Endemias do Ceará”. Revista do Instituto do Ceará, Fortaleza, 1909.

Publicado
2019-12-06
Seção
GT-8: Geografia histórica urbana