SOBRE O CONCEITO DE EXÉRCITO INDUSTRIAL DE RESERVA: ASPECTOS HISTÓRICOS E ATUALIDADE

Ronaldo Vielmi Fortes

Resumo


Pretende-se neste artigo retomar a definição marxiana de exército industrial de reserva e acompanhar, pelo menos em suas linhas mais gerais, os decursos históricos dos desdobramentos de tal categoria no âmbito da dinâmica processual da sociabilidade. Consideramos que a investigação histórica do problema abre a possibilidade de acompanhar o movimento real das transformações na organização do trabalho e dos trabalhadores ao longo dos últimos dois séculos, propiciando elementos mais precisos para a compreensão e a crítica do suposto desfecho histórico do protagonismo da classe trabalhadora, que para muitos tem seu esgotamento histórico na configuração do processo de acumulação atual.


Palavras-chave


exército industrial de reserva, metamorfoses do trabalho, ciclo de acumulação capitalista

Texto completo:

PDF

Referências


BRAVERMANN, Harry; Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX; Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1974.

BRENNER, Robert; O boom e a bolha: os Estados Unidos na economia mundial; Rio de Janeiro: Record, 2003.

_____. The Economics of Global Turbulenc; London-New York, Verso, 2006.

CORIAT, Benjamin; El taller y el cronometro; México, Siglo XXI, 1982.

_____. L’atelier et le robot; Paris: Chistian Bourgois, 1990.

DOBB, Maurice; A evolução do capitalismo; Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

DUHIGG, Charles and BRAKSHER, Keith; How the U.S. lost out on iPhone work; in: The New York Times, Jan. 21, 2012.

GOUNET, Thomas; Fordismo e Toyotismo na Civilização do Automóvel; São Paulo: Boitempo, 2002.

GRAS, Norman S. B.; Industrial evolution; Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press 1930.

LEMOINE, Françoise; L’économie chinoise; Paris: Éditions La Découverte, 2003.

MARX, Karl; O capital: crítica da economia política, livro 1: o processo de produção do capital; São Paulo: Boitempo Editorial, 2012.

________. O capital: crítica da economia política, livro 3: o processo global de produção capitalista; São Paulo: Boitempo Editorial, 2017.

MONTEGOMERY, David; The fall of the house of labor; Cambridge: Cambrige University Press, 1977.

POLLARD, Sidney; The genesis of modern Management; Harmondsworth: Penguin, 1968.

RIGOLETTO, Tomás; PÁEZ, Carlos Salas; “As experiências internacionais de flexibilização das leis trabalhistas”. In: KREIN; GIMENEZ; SANTOS (org); Dimensões críticas da reforma trabalhista no Brasil; Campinas/SP: Curt Nimuendaujú, 2018.

TEIXEIRA, Aloísio; Estados Unidos: a curta marcha para a hegemonia; in: FIORI, José Luiz (org.); Estados e moedas no desenvolvimento das Nações; Petrópolis: Ed. Vozes, 1999.




DOI: https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n36p256-273

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES:

Latindex: http://www.latindex.unam.mx/

Dialnet: http://dialnet.unirioja.es/servlet/revista?codigo=19796

IndexCopernicus: http://journals.indexcopernicus.com/passport.php?id=8544

Portal de periódicos da Ufes: http://peridicos.ufes.br

Diadorim-IBICT: http://diadorim.ibict.br/handle/1/319

LICENÇA:

CC BY https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/