A LINGUAGEM COMO ARENA: CONFLITOS E RESISTÊNCIA EM PERFORMANCES CULTURAIS

Resumo

O presente trabalho visa a refletir sobre a importância da linguagem no que tange à expressão de conflitos sociais e relações de poder, expressos linguisticamente na arena discursiva de performances culturais de comunidades tradicionais, notadamente, indígenas e quilombolas. Nesse contexto, a tradição e a memória são reinscritas historicamente e atualizadas na performance do tempo espiralar. Em um cenário de violência e injustiças, performances culturais, como o rap guarani e o Ticumbi de São Benedito, respondem linguística e ideologicamente a esses conflitos. A corporeidade, os versos e a voz de membros de comunidades indígenas e quilombolas atuam responsiva e eticamente na denúncia, na luta e na perspectiva concreta de construção de uma realidade mais justa e equânime.
Publicado
2017-11-15