Orquídeas versus Tartarugas Marinhas: tentando narrar simultaneamente conflitos aparentes e ocultos

Autores

  • Clara Crizio de Araujo Torres UFES
  • Eliana Santos Junqueira Creado UFES
  • Jerônimo Amaral de Carvalho UFES

DOI:

https://doi.org/10.24305/cadecs.v4i1.14743

Resumo

O presente artigo constitui um relato e uma análise de Audiência Pública ocorrida no município de Linhares (ES), na Universidade Aberta do Brasil (UAB), ao dia 29 de setembro de 2014, cujo tema em questão era a ampliação e a modificação de uma ARIE (Área de Relevante Interesse Ecológico), localizada na vila do Degredo. A análise focará performances e ações individuais (humanas) surgidas nas falas coletivas ao longo do episódio do evento, mais especificamente, as ações de agentes relacionados à conservação ambiental e agentes cuja atuação basear-se-ia em conhecimentos tecnocientíficos. Será abordado o movimento de agências não-humanas circunscritas nos conflitos desenrolados ao longo do evento e, para além dele, explicando a conjuntura que conformou o antagonismo dos que estavam presentes na audiência: de um lado, os agentes preocupados com a defesa dos interesses ambientais, dentre os quais a conservação de tartarugas marinhas (sobretudo as tartarugas de couro ou gigantes - Dermochelys coriacea), contrários à supressão de área ao sul da ARIE, e, de outro lado, os que argumentavam que a maior justificativa para a alteração era a proteção de orquídeas (Cattleya Guttata Lindl.). No pano de fundo do debate, estava, no entanto, a construção de um porto, cuja presença foi obliterada pelos defensores da modificação da ARIE do Degredo, e trazida à tona na fala de seus oponentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

REFERÊNCIAS

BRASIL. Portaria no. 874/GM/MS, DE 16 DE MAIO DE 2013. Institui a Política Nacional para a Prevenção e Controle do Câncer na Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

BRASIL.Lei nº 3.252, de 27 de Agosto de 1957.Ementa. Regulamenta o exercício da profissão de Assistente Social.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Código de ética profissional do assistente social. 10. ed. rev.e atual. Brasília, 2011.CARNEIRO, Adriano C. Disponível em: <http://www.femama.org.br/novo/arquivos/0.641895001319480903.pdf> Acesso em: 10 de fevereiro de 2016.

MENDONÇA, E. A.P. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS COMO OBJETO DE PRÁTICAS EDUCATIVAS NA PROMOÇÃO DA SAÚDE NO CLIMATÉRIO MENOPAUSA.Assistente Social. Escola Nacional de Saúde Pública Fundação. Oswaldo Cruz/Fiocruz. Rio de Janeiro, agosto de 2004.

MINAYO,M.C.S.A Violência Social sob a Perspectiva da Saúde Pública.RJ.,1994.

PÂRAMETROS PARA ATUAÇÃO DE ASSISTENTES SOCIAIS NA POLÍTICA DE SAÚDE. CFESS,Brasília,2010.

REIS,Inês. A Sala de Espera como Espaço reflexivo e o Serviço Social:Serviço Social na Saúde Coletiva. Doutora em Serviço Social-PUC-RJ, 1ª. Edição,Rio de Janeiro,2012,v.,p.207-228.

SANTOS,Claudia Mônica.A dimensão técnico-operativa e os instrumentos e técnicas no Serviço Social.CRESS-MG-Revista Conexão Geraes -2º semestre de 2013.

PÂRAMETROS PARA ATUAÇÃO DE ASSISTENTES SOCIAIS NA POLÍTICA DE SAÚDE. CFESS,Brasília,2010

SARMENTO,Helder B.de Moraes. Instrumental técnico e o Serviço Social, é preciso continuar o debate! CRESS-MG, Revista Conexão Geraes,2º semestre de 2013.

SILVA,V.P.; O Serviço Social e a Possibilidade de uma Sala de Espera Humanizada,no atendimento de Pacientes com Câncer (CA). Assistente Social, Pós-Graduação em Residência Multiprofissional. HUAP,UFF-RJ. IV Congresso Internacional de Serviço Social, I Seminário Internacional da Pós Graduação em Serviço Social e 19ª.Semana de Serviço Social – UNESP/FRANCA,São-Paulo;2014.Disponível em: em: <http://www.webartigos.com/artigos/determinantes-sociais-dos-portadores-de-cancer-demandas-para-os-assistentes-sociais/130476/#ixzz40y6fC2VM> Acesso em: 20 de fevereiro 2016.

SUS- PORTAL DE SAÚDE. Disponível em: <http://dab.saude.gov.br/portaldab/historico_cobertura_sf.php> Acesso em: 14 de março de 2016.

VASCONCELOS,A.M. SERVIÇO SOCIAL E PRÁTICAS DEMOCRÁTICAS NA SAÚDE.2001,RJ.

Downloads

Publicado

2016-12-15