Considerações sobre marxismo, filosofia da práxis e “questão social”

Autores

  • Marina Machado Gouvêa

Resumo

O presente artigo apresenta uma compreensão do marxismo como “filosofia da práxis” e indica a necessidade de reconhecer a partir desta compreensão a ortodoxia no marxismo como sendo a ortodoxia do método, que tenha a práxis como finalidade, fundamento e critério em uma perspectiva dialético-materialista. A partir desta compreensão, submete-se a um breve exame a categoria “questão social” e defende-se a necessidade incontornável da incorporação da teoria marxista da dependência para a investigação e atuação sobre a realidade social latino-americana que tenha como finalidade o projeto societário comunista e, portanto, para a investigação e atuação sobre a “questão social” na América Latina que busque evitar tanto o empiricismo e o ecletismo quanto o essencialismo e o dogmatismo, todos eles influxos idealistas no pensamento marxista materialmente fundamentados, que diminuem sua eficácia como arma na luta teórica e na luta política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-08

Edição

Seção

Mesa coordenada Determinantes histórico-estruturais da política social e capitalismo dependente