As comunidades terapêuticas religiosas e a política social de drogas

Autores

  • Rita de Cássia Cavalcante Lima

Resumo

O texto discute a relação entre a assistência religiosa e a política social de drogas no Brasil, que vem se fortalecendo desde os anos de 2010. O crescimento do mercado do crack e a ampliação da bancada religiosa no Parlamento vêm sendo identificados como as principais determinações. No entanto, tem-se como pressuposto que o processo de modernização na formação social brasileira e da sua secularização contribuem para as estratégias populares na produção social da saúde, cujo processo nos faz entender parte da motivação da procura da população pelas comunidades terapêuticas religiosas. Assim, a problematização do fortalecimento das comunidades terapêuticas religiosas requer o exame entre os conteúdos que se inserem na restauração conservadora, mas também nas antigas resistências da cultura popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-08

Edição

Seção

Mesa coordenada Política de drogas e avanço conservador: proibicionismo x antiproibicionismo