A redução de riscos e minimização de danos em Portugal

Autores

  • Rita de Cássia Cavalcante Lima

Resumo

Este texto analisa a trajetória da Redução de Riscos e Minimização de Danos em Portugal, a partir de 2001, em período de implantação de nova política de drogas e de um sistema de saúde pública em expansão, porém, sob a agenda do neoliberalismo. Foi utilizando fontes documentais sobre a Redução de Riscos e Minimização de Danos em domínio público ancorados no site do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências, instância do Ministério da Saúde. Foi observado a implantação já com características da ofensiva neoliberal, mas com uma concepção inovadora de tolerância ao risco. Na atualidade, há a expansão das ações para consumos recreativos de álcool, tabaco, maconha, haxixe e Novas Substâncias Psicoativas que se dão por pessoas com baixa percepção dos riscos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-03

Edição

Seção

Mesa coordenada Usos de drogas como objeto transnacional de políticas de saúde