Redes de Atenção Psicossocial (RAPS) para usuários de álcool e outras drogas: inovações e tensões

Autores

  • Mônica de Castro Maia Senna

Resumo

O presente trabalho examina as alterações introduzidas pela RAPS na conformação da atenção à saúde para usuários de álcool e outras drogas, identificando inovações, contradições e tensões existentes no padrão de intervenção estatal na

questão. Por meio de pesquisa bibliográfica e documental, discute as

concepções que embasam a RAPS, os embates entre o modelo de atenção psicossocial e a lógica hegemônica proibicionista, assim como as tendências recentes de desmonte dos avanços conquistados. Demonstra as contradições do processo de construção da RAPS e a retomada de fortes investimentos no modelo manicomial, nas Comunidades Terapêuticas e na lógica moralizante e proibicionista no campo de álcool e outras drogas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-03

Edição

Seção

Mesa coordenada Usos de drogas como objeto transnacional de políticas de saúde