A imprensa pernambucana no processo de Independência (1821-1824)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46812/e-2020310103

Palavras-chave:

Império, Pernambuco, NVivo

Resumo

A Revolução do Porto iniciada em 1820 trouxe consequências críticas ao destino do Império Luso-brasileiro. Abalado pelas ideias liberais, o Antigo Regime português perdeu espaço para o constitucionalismo. Na esteira da constituição, a liberdade de imprensa tornou possível a criação de vários periódicos no Império, contribuindo para a circulação de ideias e notícias. Atento a esse contexto, o presente artigo analisa a imprensa pernambucana entre os anos de 1821 e 1824 buscando compreender as discussões políticas e como esses jornais e essa província se inseria na problemática do Império.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Ferreira Reis, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestre pela Universidade Federal do Espírito Santo. Pesquisa imprensa no Primeiro Reinado.

Referências

Fontes

Aurora Pernambucana. Pernambuco: Oficina do Trem de Pernambuco, 1821.

Escudo da Liberdade do Brasil. Pernambuco: Tipografia Cavalcante e Companhia, 1823.

Gazeta Pernambucana. Pernambuco: Tipografia Nacional, 1822.

Marimbondo. Pernambuco: Tipografia Nacional, 1822.

O Liberal. Pernambuco: Tipografia de Miranda, 1824.

Relator Verdadeiro. Pernambuco: Oficina do Trem de Pernambuco, 1821.

Segarrega. Pernambuco: Oficina do Trem de Pernambuco, 1821.

Obras Gerais

BASILE, Marcello Otávio. O Império em Construção: projetos de Brasil e ação política na Corte regencial. Tese (Doutorado em História Social) – Programa de Pós-graduação em História Social - Universidade Federal do Rio de Janeiro: Rio de Janeiro, 2004.

CARVALHO, José Murilo de. A Construção da Ordem - Teatro das Sombras. São Paulo: Civilização Brasileira, 2003.

FELDMAN, Ariel. Espaço público e formação do estado nacional brasileiro: a atuação política do Padre Carapuceiro (1822 a 1852). 2012. Tese (Doutorado em História Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2006.

LEITE, Renato Lopes. Republicanos e Libertários. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

LEME, Mariza Saenz. “Dissidências regionais e articulações nacionais nos projetos de independência: o Conciliador Nacional em Pernambuco. Anais do XXIV Simpósio Nacional de História de São Leopoldo: Unissinos, 2007.

MELLO, Evaldo Cabral de. A Outra Independência. São Paulo: Editora 34, 1992.

MOREL, Marco. Cipriano Barata. São Paulo: Editora Brasiliense, 1986.

NEVES, Lúcia Maria Bastos Pereira das. Corcundas e constitucionais: a cultura política da Independência (1820-1822). Rio de Janeiro: Revan / FAPERJ, 2003.

POCOCK, John G. Linguagens do Ideário Político. São Paulo: Edusp, 2003.

RAMIRES, Mário Fernandes. Tipografias E Tipógrafos Em Pernambuco, 1815-1824. CLIO: Revista de Pesquisa Histórica, v. 35, n. 1, p. 1815–1824, 2017.

Downloads

Publicado

2020-06-14

Como Citar

REIS, A. F. A imprensa pernambucana no processo de Independência (1821-1824). Revista Ágora, [S. l.], v. 31, n. 1, p. e-2020310103, 2020. DOI: 10.46812/e-2020310103. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/28851. Acesso em: 15 ago. 2020.

Edição

Seção

Imprensa, partidos e eleições no Oitocentos