Os efeitos do ciclo de vida domiciliar e as mudanças nas expectativas de retorno aos capitais entre a primeira e a segunda geração de agricultores do Cerrado Brasileiro: o caso do PADAP

Autores

  • Mauro Augusto dos Santos Universidade Vale do Rio Doce (UNIVALE)
  • Gilvan Ramalho Guedes Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Alisson Flávio Barbieri Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Carla Jorge Machado Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.24305/cadecs.v2i1.8422

Resumo

O Cerrado Brasileiro é um importante bioma brasileiro que vem sofrendo um acelerado processo de degradação, provocado principalmente pela rápida expansão da agropecuária. Entretanto, poucos trabalhos têm sido produzidos pelos demógrafos brasileiros associando tal fenômeno à dinâmica demográfica e, mais especificamente, ao ciclo de vida dos domicílios agrícolas. O Programa de Assentamento Dirigido do Alto Paranaíba (PADAP), implantado em 1973 no estado de Minas Gerais, foi o primeiro projeto de colonização do Cerrado implantado no país a partir da década de 1970. Este artigo analisa a relação entre o ciclo de vida dos domicílios e as estratégias de sobrevivência de uma amostra de produtores rurais e dos seus filhos. Os dados são provenientes de uma pesquisa realizada na região entre os anos de 2008 e 2009, representando 102 indivíduos (28 produtores e 74 filhos). Para identificação da associação entre ciclo de vida domiciliar e estratégias de sobrevivência, utilizou-se o método Grade of Membership (GoM), o que possibilitou a estimação de perfis multidimensionais dos produtores rurais e de seus filhos. Nossos resultados sugerem que os efeitos do ciclo de vida sobre as estratégias de subsistência variam quando se comparam os colonos e seus descendentes. Enquanto a primeira geração usou a migração como uma estratégia de sobrevivência para adquirir mais terra e estabelecer-se em uma nova fronteira aberta, uma parte de sua descendência migrou para outros estados para investir em sua educação formal. Outro grupo de filhos permaneceu na fronteira, embora também tenham adotado uma estratégia de sobrevivência diferente da adotada por seus pais. Esse grupo predominantemente se engajou em atividades fora da propriedade familiar, principalmente no comércio local e no setor de serviços. Estas mudanças internas das estratégias intergeracionais sugerem que a fronteira internalizou a dinâmica do mercado urbano, permitindo aos filhos que não migraram se inserirem em vários setores econômicos.

Referências

BARBIERI, A. F. People, land, and context: multi-scale dimensions of population mobility in the ecuadorian Amazon. Ann Arbor, Michigan: ProQuest / UMI, 2006.
BARBIERI, A. F.; BILSBORROW, R. E.; PAN, W. K. Farm household lifecycles and land use in the Ecuatorian Amazon. Population and Environment, New York, v. 27, n. 1, p. 1-27, Sep. 2006.
BEBBINGTON, A. Capitals and Capabilities: A Framework for Analyzing Peasant Viability, Rural Livelihoods and Poverty. World Development, Montreal, v.. 27, n. 12, pp. 2021-2044, 1999.
BILSBORROW, R.; CAR, D. L. Population, agricultural land use and the environment in developing countries. In: LEE, D., BARRETT, C. (Eds.) Tradeoffs or synergies? Agricultural intensification, economic development and the environment. Wallingford, UK: CAB International, 2001. p. 35-55
BRONDÍZIO, E. S. et al. The colonist footprint: toward a conceptual framework of land use and deforestation trajectories among small farmers in the Amazonian Frontier. In: WOOD, C. H.; PORRO, R. Deforestation and land use in the Amazon. Gainesville: University of Florida, 2002. p. 133-161.
BROWDER, J. O. Reading colonist landscapes: social factors influencing land use decision by small farmers in the Brasilian Amazon.. In: WOOD, C. H.; PORRO, R. Deforestation and land use in the Amazon. Gainesville: University of Florida, 2002. p. 218-240.
CALDAS, M. et al. Theorizing land cover and land use change: the peasant economy of amazonian deforestation. Annals of the Association of American Geographers, Washington, v. 97, n. 1, p. 86-110, Mar. 2007.
DE SHERBININ, A. et al. Rural household micro-demographics, livelihoods and the environment. Global Environmental Change, Guildford, v. 18, n. 1, p. 38-53, Feb. 2008.
ELLIS, F. Peasant economies: farm households and agrarian development. Cambridge: Cambridge University, 1988. 257 p.
FRANÇA, M. O cerrado e a evolução recente da agricultura capitalista: a experiência de Minas Gerais. 169 f. 1984. Dissertação (Mestrado). Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1984.
GONÇALVES, J. S.; VEGRO, C. L. R. Crise econômica e cooperativismo agrícola: uma discussão sobre os condicionantes das dificuldades financeiras da cooperativa agrícola de cotia (CAC). Agricultura em São Paulo, São Paulo, v. 41, n. 2, p. 57-87, set. 1994.
GUIMARÃES, E. N.; LEME, H. J. C. Caracterização histórica e configuração espacial da estrutura produtiva do Centro-Oeste. In: HOGAN, D. J. et al. (Orgs.). Migração e ambiente no Centro-Oeste. Campinas: PRONEX/ UNICAMP, 2002. p. 17-85.
GUEDES, G.R.; QUEIROZ, B.L.; BARBIERI, A.F.; VANWEY, L.K. Ciclo de vida domiciliar, ciclo do lote e mudança no uso da terra na Amazônia Brasileira: contribuições da literatura. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 28, n. 1, p. 231-240, 2011.
HOGAN, D. J. et al. (Orgs.). Migração e ambiente no Centro-Oeste. Campinas: PRONEX/UNICAMP, 2002. 324p.
KLINK, C. A.; MACHADO, R. B. A conservação do cerrado brasileiro. Megadiversidade, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 148-155, jul. 2005.
KLINK, C. A.; MOREIRA, A. G. Past and current human occupation and land-use. In: OLIVEIRA, P. S.; MARQUIS, R.J. (Orgs.) The Cerrado of Brazil: ecology and natural history of a neotropical savanna. New York: Columbia University, 2002. p. 69-88.
MAGALHÃES, M. V. Paraná e suas regiões nas décadas recentes: as migrações que também migram. 195 f. 2003. Tese (Doutorado). Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2003.
MANTON, K. G.; WOODBURY, M. A. Grade of Menbership generalizations and aging research. Experimental Aging Research, Bristol, v. 17, n. 4, p. 217-226, 1991.
MARQUETE, C. M. Settler welfare on tropical forest frontiers in Latin America. Population & Environment, New York, v. 27, n. 5-6, p. 397-444, May. 2006.
MARTINE, G. Êxodo rural, concentração urbana e fronteira agrícola. In: MARTINE, G; GARCIA, R. C. (Orgs). Os impactos sociais da modernização agrícola. São Paulo: Caetés, 1987.
MCCRACKEN, S. D. et al. Land use patterns on an agricultural frontier in Brazil: insights and examples from a demographic perspective. In: WOOD, C. H.; PORRO, R. Deforestation and land use in the Amazon. Gainesville: University of Florida, 2002 b. p. 162-192.
MCCRACKEN, S. D.; BOUCEK, B, MORAN, E. Deforestation trajectories in a frontier region of the brazilian amazon. In: WALSH, S. J.; CREWS-MEYER, K. A. (Eds.) Linking people, place, and policy: a GIScience approach.. Boston: Kluwer Academic, 2002a. p. 215-234.
MORAN, E. F.; BRONDÍZIO, E. S.; MCCRACKEN, S. D. Trajectories of land use: soils, succession, and crop choice. In: WOOD, C. H.; PORRO, R. Deforestation and land use in the Amazon. Gainesville: University of Florida, 2002. p. 193-217.
OLIVEIRA-FILHO, E. C.; LIMA, J. E. F. W. Impacto da agricultura sobre os recursos hidrícos na região do cerrado. Planaltina – DF: Embrapa Cerrados, 2002. 50 p.
PÉRET, R. C. A. A questão da sustentabilidade da agricultura nos cerrados. In: SILVA, J. G.; SHIKI, S.; ORTEGA, A. C. (Orgs) Agricultura, meio ambiente e sustentabilidade do cerrado brasileiro. Uberlândia: UFU, 1997. 372 p.
PERZ, S. G. Household demographic factors as life cycle determinants of land use in the Amazon. Population Research and Policy Rewiew, Amsterdam, v. 20, n. 3, p. 159-186, Jun. 2001.
PERZ, S. G.; WALKER, R. Household life cycles and secondary forest cover among small farm colonists in the Amazon. World Development, Montreal, v. 30, n. 6, pp. 1009–1027, 2002.
PICHÓN, F. et al. Endogenous patterns and processes of settler land use and forest change in the Ecuadorian Amazon. In: WOOD, C. H.; PORRO, R. Deforestation and land use in the Amazon. Gainesville: University of Florida, 2002. p. 241-282.
PICHÓN, F. Settler households and land-use patterns in the Amazon frontier: farm-level evidence from Ecuador. World Development, Montreal, v. 25, n. 1, p. 67-91, Jan. 1997.
REZENDE, G. C. Ocupação agrícola e estrutura agrária no cerrado: o papel do preço da terra, dos recursos naturais e da tecnologia. Rio de Janeiro: IPEA, 2002. 23p. (Texto para discussão, 913).
SANO, E. E. et al. Mapeamento semidetalhado do uso da terra do Bioma Cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 43, n. 1, p.153-156, jan. 2008.
SANO, E. E.; FERREIRA, L. G. Monitoramento semidetalhado (escala 1:250.000) de ocupação de solos do cerrado: considerações e proposta metodológica. Simpósio Brasileiro de Sensoreamento Remoto, 12., 2005, Goiânia. Anais... Goiânia: INPE, 2005, p. 3309-3316.
SANTOS, M. A. (2010). A influência da dinâmica demográfica e domiciliar no processo de ocupação do Cerrado Brasileiro: o caso do Programa de Assentamento Dirigido do Alto Paranaíba, Minas Gerais, Brasil. 152 f. Tese (Doutorado), Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional de Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.
SASAKI, L. I. Portal do Cerrado. Belo Horizonte: O Lutador, 2008. 344 p.
SAWYER, D. População, meio ambiente e desenvolvimento sustentável no cerrado. In: HOGAN, D. J. et al. (Org.). Migração e ambiente no Centro-Oeste. Campinas,: PRONEX/UNICAMP, 2002. p. 279-299.
SAWYER, D. O. et al. Caracterização dos tipos de doadores de sangue em Belo Horizonte: heterogeneidade do homogêneo. ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 12., 2000, Caxambu, Anais... Caxambu: ABEP, 2000.
SAWYER, D. O.; LEITE, I. C.; ALEXANDRINO, R. Perfis de utilização de serviços de saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.7, n. 4. p. 757-776, Jan. 2002.
SEROA DA MOTTA, R. The economics of biodiversity in Brazil: the case of forest conversion. Rio de Janeiro: IPEA, 1996. 21p. (Texto para discussão, 433).
SHIKI, S. Sistema agroalimentar no Cerrado brasileiro: caminhando para o caos? In: SILVA, J. G.; SHIKI, S.; ORTEGA, A. C. (Orgs) Agricultura, meio ambiente e sustentabilidade do Cerrado brasileiro. Uberlândia: UFU, 1997. 372 p.
VANWEY, L. K. et al. Uso da terra, ciclo de vida da unidade doméstica e ciclo de vida do lote na Amazônia Brasileira. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 15., 2006. Caxambu. Anais... Caxambu: ABEP, 2006.
VANWEY, L. K.; HULL, J. R.; GUEDES, G. R. Capitals and Context: Bridging Health and Livelihoods in Smallholder Frontiers. In: KELLY CREWS-MEYER, K.; KING, B. (Eds.). The Politics and Ecologies of Health, New York: Routledge Press, 2012.
WALKER, R. et al. Land use and land cover change in forest frontiers: the role of household life cycles. International Regional Science Review, Philadelphia, v. 25, n. 2, p. 169-199, Apr. 2002.
WALKER, R.; HOMMA, A. K. O. Land use and land cover dynamics in the Brazilian Amazon: an overview. Ecological Economics, Amsterdam, v. 18, n.1, p. 67-80, Jul. 1996.

Downloads

Publicado

2014-06-30