CHAMADA PARA DOSSIÊ TEMÁTICO: Nas tramas do Ensino de Artes: experimentações e expectações em tempos de distopia

2021-03-22

O dossiê temático intitulado “Nas tramas do Ensino de Artes: experimentações e expectações em tempos de distopia”, tem como objetivo reunir artigos, ensaios e relatos de experiência frutos de investigações em curso ou já concluídas que debatam, teórica e/ou empiricamente, sobre a atualidade e os horizontes dos saberes e práticas do Ensino de Artes em suas diferentes expressões (teatro, dança, artes visuais, música, cinema/vídeo, interação das artes). Serão selecionados para publicação textos que versem sobre experiências artístico-pedagógicas na escola, possibilidades metodológicas de Ensino de Artes, fundamentos histórico-críticos da arte-educação, arte-educação no ensino não-formal e demais temas relativos ao Ensino de Artes, dentro do escopo do dossiê. Desse modo, pretende-se vislumbrar diferentes visões acerca dos percursos e percalços dos 50 anos de obrigatoriedade do ensino da Educação Artística na educação básica brasileira - pela LDB de 1971 - (ainda na modalidade de atividades curricular, não como “disciplina”). O ponto de partida do dossiê é a metáfora da trama que entrelaça aspectos como a ética, a política e a estética na relação entre as artes, suas interações e interfaces com a educação, organizando o sensível, o visível, o pensável, o dizível e o possível, traçando um panorama da diversidade de experimentos e expectações nas práticas docentes em Artes, tanto na educação formal quanto na educação não-formal. A expectação é aqui compreendida não só como o olhar que age, mas sobretudo como única espera possível, em contraposição à esperança, na perspectiva da ação que efetiva acontecimentos, transformações, cujo sentido maior no dossiê é mapear territórios já constituídos e/ou em constituição de atuação no Ensino das Artes, no caminhar da distopia à utopia. A realidade com a qual docentes e discentes, especialmente em Artes, têm-se deparado a partir de 2020 tem encontrado abrigo na distopia da confusão conveniente em torno do valor da arte, dos artistas, da criatividade e da educação estética como atividades inseparáveis da vida humana. Isso nos leva à possível afirmação de que a crise pela qual estamos passando, enquanto sociedade, é anterior ao surgimento do novo coronavírus. Com o fim de acarear o passado com o presente, pretende-se, com este mapeamento de experiências artístico-pedagógicas, lançar olhares sobre o Ensino de Artes, entre o passado e o presente, para o futuro, abarcando, também, as práticas em arte-educação emergentes durante a pandemia do novo coronavírus.