CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE CACHAÇAS PRODUZIDAS EM SÃO ROQUE DO CANAÃ, ESPÍRITO SANTO

Autores

  • Juliana Abreu Rezende Instituto Federal do Espírito Santo

Resumo

A cachaça enquadra categoria de bebidas destiladas como a mais tradicional e de maior importância econômica no Brasil, sendo produzida desde o período colonial. Sua fabricação está dividida em cachaça artesanal e cachaça industrial, onde ambas conquistam cada vez mais o mercado interno e externo. Objetivou-se, com a realização deste trabalho caracterizar por meio de quantificações físico-químicas cachaças artesanais produzidas no município de São Roque do Canaã/ES com marca comercial, bem como avaliá-las sensorialmente quanto a sua aceitação. Foram quantificados os teores de grau alcóolico e acidez volátil, e por meio da análise sensorial foram comparadas as cachaças produzidas nos modelos artesanais do modelo industrial. Com relação ao parâmetro grau alcóolico e acidez volátil, todas as cachaças avaliadas, indiferentemente do tipo de produção (artesanal ou industrial) apresentaram-se dentro dos padrões exigidos pela legislação. Análise sensorial foi capaz de diferenciar as cachaças produzidas nos modelos industriais das artesanais. Em relação à preferência dos provadores, nenhuma cachaça artesanal obteve aceitação superior a industrial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 24, de 08 de setembro de 2005b. Aprova o Manual Operacional de Bebidas e Vinagre, onde constam o Modelo de Manual da Qualidade, o Protocolo de Validação de Métodos Físico-Químicos, o Protocolo de Cálculo da Incerteza Associada às Medições e os Métodos de Análise de Bebidas Fermentadas, Destiladas, Não Alcoólicas e de Vinagre, que passam a constituir padrões oficiais para análise físico-química de bebidas e vinagre. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/>. Acesso em: 22 Jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Agricultura. Portaria nº 76 de 26 de novembro de 1986. Dispõe sobre os métodos analíticos de bebidas e vinagre. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 28 nov. 1986. Seção 1, pt. 2.

LELIS, V. G. Ocorrência de carbamato de etila e sua formação em cachaça de alambique e em aguardente de cana-de-açúcar. Viçosa, Minas Gerais, Brasil: Universidade Federal de Viçosa; 2006.

ODELLO, L.; BRACESCHI, P.; SEIXAS, F. R. F.; DA SILVA, A. A.; GALINARO, C. A.; FRANCO, D. W. Avaliação sensorial de cachaça. Quim. Nova, Vol. 32, No. 7, 1839- 1844, 2009.

SEBRAE-ES. Inventário da Oferta Turística do Município de São Roque do Canaã. Vitória, 2006. 138 p. SEBRAE-MG. Diagnóstico da cachaça de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2001. 241 p.
VOLPATO, G. L. Ciência: da filosofia à publicação, 6 ed. Revisada e ampliada.Cultura Acadêmica. São Paulo, 2013.

Downloads

Publicado

2020-05-29

Edição

Seção

Agroindústria e Economia Rural