GERMINAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO EM DIFERENTES TEMPERATIRAS

Autores

Resumo

A temperatura é considerada um dos fatores mais limitantes no processo germinação de sementes de milho. Deste modo, objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho germinativo de diferentes genótipos de milho hibrido e varietal submetidos a diferentes temperaturas. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado no esquema fatorial com 5 genótipos e 7 temperaturas. Foram utilizadas quatro variedades: AL Bandeira, Cativerde 02, Capixaba Incaper 203, Fortaleza, e um hibrido duplo: AG-1051. As temperaturas foram 16ºC, 20ºC, 24ºC, 28ºC, 32ºC, 36ºC e 40ºC mantidas constantes durante todo o experimento. Avaliou-se a porcentagem de germinação total e de primeira contagem, plântulas normais e anormais; sementes não germinadas e índice de velocidade de germinação. Diante dos resultados obtidos, temos que os genótipos Fortaleza e Capixaba Incaper 203 apresentaram maior tolerância a diferentes níveis de temperatura durante a germinação. As temperaturas 16 e 40ºC obtiveram as maiores porcentagens de plântulas anormais e a faixa de temperatura de 24 a 32ºC apresentou maior incidência de plântulas normais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEWLEY, J. D.; BLACK, M. Seeds: physiology of development and germination. New York: Plenum Press, 1994. 445 p.
BLUM, A.; SINMENA, B. Wheat seed endosperm utilization under heat stress and its relation to thermotolerance in the autotrophic plant. Field Crops Research, v.37, n.3, p.185 191, 1994.
BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF: Mapa/ACS, 2009. 395p.
CARGNIN, A.; SOUZA, M.A.; DIAS, D.C.F.S.; MACHADO, J.C.; MACHADO, C.G.; SOFIATTI, V. Tolerância ao estresse de calor em genótipos de trigo na fase de germinação. Bragantia, v.65, p.245-251,2006.
DOUSSEAU, S.; ALVARENGA, A. A.; ARANTES, L. O.; OLIVEIRA, D. M.; NERY, F. C. Germinação de sementes de tanchagem (Plantago tomentosa Lam.): influência da temperatura, luz e substrato. Ciência e Agrotecnologia, v.32, n.2, p.438-443, 2008.
DUTRA, S.M.F.; VON PINHO, E. V. R.; SANTOS, H. O. ; LIMA, A. C.; VON PINHO, R. G.; CARVALHO, M. L. M.. Genes related to high temperature tolerance during maize seed germination. Genetics and Molecular Research, v.14, p.18047-18058, 2015.
FAROOQ, M.; AZIZ, T.; BASRA, S.M.A.; CHEEMA, M.A.; REHMAN, H. Chilling Tolerance in Hybrid Maize Induced by Seed Priming with Salicylic Acid, Journal of Agronomy and Crop Science, v.194, p.161-168, 2008.
IBGE: Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Disponível: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa/lspa_201708_5.shtm. Acessoem 12 de agosto de 2017.
MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: FEALQ, 2005. 495 p.
NERSON, H. Seed procuction and geminability of cucurbit crops. Seed Science Biotechnology, v.1, p.1-10, 2007.
PEREIRA, R. S.; NASCIMENTO, W. M.; VIEIRA, J. V. Germinação e vigor de sementes de cenoura sob condições de altas temperaturas. Horticultura Brasileira. v.25, n.2, p.215-219, 2007.
SBRUSSI, C. A. G.; ZUCARELI, C. Germinação de sementes de milho com diferentes níveis de vigor em resposta à diferentes temperaturas. Semina: Ciências Agrárias. v.35, n.1, p.215, 2014.
VARELA, V. P.; COSTA, S. S.; RAMOS, M. B. P.Influência da temperatura e do substrato na germinação de sementes de Itaubarana (Acosmium nitens (Vog.) Yakovlev) – Leguminosae, Caesalpinoideae. Acta Amazônica, v.35, n.1, p.35-39, 2005.

Downloads

Publicado

2020-05-29