EFEITO DA VARIAÇÃO DA SALINIDADE SOBRE O DESEMPENHO FOTOQUÍMICO DE Rhizophora mangle L. NO LITORAL NORTE DO ESPÍRITO SANTO

Autores

  • Lucas de Almeida Leite Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Maykol Hoffmann Silva Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Sávia Soares Pascoalini Fundação Espírito-santense de Tecnologia - FEST
  • Dielle Meire de Santana Lopes Fundação Espírito-santense de Tecnologia - FEST
  • Ully Depolo Barcelos Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Mônica Maria Pereira Tognella Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Antelmo Ralph Falqueto Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Resumo

Períodos de menor precipitação tendem a aumentar o alcance da maré sobre os rios de menor fluxo, devido à diminuição da vazão. Consequentemente, manguezais que apresentam menor salinidade passam a receber maiores concentrações de NaCl em certos períodos do ano. Considerando que a salinidade é o principal fator de estresse para plantas de mangue, influenciando o desempenho do aparato fotossintético, este estudo teve como objetivo avaliar o efeito da variação da salinidade sobre o desempenho do fotossistema II (FSII) de indivíduos jovens de Rhizophora mangle L. em um manguezal do rio Piraque-Açú (Aracruz), norte do Espírito Santo. Os dados foram coletados durante a estação seca de 2019 (abril a julho) em dois sítios diferindo em salinidade localizados 3,45 (AS) e 10,78 (BS) Km da costa. A salinidade intersticial e o desempenho do FSII das plantas foram aferidos utilizando-se um sensor multiparâmetro (Hach) e um fluorômetro Handy-PEA (Hanstech, UK), respectivamente. O desempenho do FSII foi medido no segundo par de folhas completamente expandidas de 5 plantas por sítio (seis medidas por planta), totalizando um n amostral de 30 medições, durante o período de 8h as 10h. Os dados foram submetidos ao teste de Tukey com 5% de significância. Os valores das salinidades diferiram (p ≤ 0,05) entre os sítios de intermediária (AS) e baixa (BS) salinidade (valores médios de 22,5 psu e 15,7 psu, respectivamente). Os valores da eficiência fotoquímica do fotossistema II (Fv/Fm), da fluorescência inicial (Fo) e o número de centros de reação ativos por seção transversal (RC/CSo) diferiram (p ≤ 0,05) entre os sítios de estudo, com maiores valores obtidos em AS. Menores valores do rendimento quântico de dissipação de energia (ΦDo) foram obtidos em AS.  A relação positiva entre os valores de Fv/Fm, Fo e RC/CSo e o de NaCl mostra que o desempenho do FSII é estimulado em R. mangle sob salinidades abaixo de 30 psu. Os resultados obtidos neste estudo evidenciam que, frente as perspectivas de mudanças climáticas, que, por sua vez, alteram o regime de chuvas, alterações na composição da vegetação de manguezal ocorrerão no sentido da permanência de Rhizophora mangle L. em manguezais apresentando maiores salinidades.

Palavras-chave: Mangue-vermelho. Teste JIP. Plântulas. Mudanças Climáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-04-15