A PRODUÇÃO DO ESPAÇO COMO PERIFERIA: CONDIÇÃO PERIFÉRICA E A CONTRADIÇÃO DO CAPITAL

Autores

  • Thiago Canettieri UFMG

Resumo

O presente artigo busca sugerir uma interpretação para a realidade contemporânea a partir da ideia de condição periférica. O autor argumenta no sentido de sugerir que ocorre no mundo hoje uma expansão da forma-periferia que se desdobra das contradições interna do capital. Essa situação implica uma mudança na forma da produção do espaço e na experiência do tempo que passa a ser marcada pelo signo da periferia e, assim, esta passa a indicar o futuro do mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Canettieri, UFMG

Doutor em Geografia pela UFMG.

Referências

ABÍLIO, L. C. Uberização e viração: mulheres periféricas no centro da acumulação capitalista. Margem Esquerda, n.31, p.54-59, 2018.
ARANTES, P. A fratura brasileira do mundo. In: ARANTES, P. (Org.). Zero à esquerda. São Paulo: Conrad, 2003.
ARANTES, P. O novo tempo do mundo. São Paulo: Boitempo, 2014.
ARANTES, P. L’autre sens: une théorie critique à la périphérie du capitalisme. (Entrevista). Revenue Variations, n.22, 2019.

ARANTES, P. F. Em busca do urbano: marxistas e a cidade de São Paulo nos anos de 1970. Novos Estudos, n.83, p.103-128, 2009.
BENANAV, A. Misery and Debt: On the Logic and History of Surplus Populations and Surplus Capital. Endnotes, n.2, p. 21-39, 2010.
BENJAMIN, W. Documento de cultura, documento de barbárie. São Paulo: Edusp, 1986.
BÖTTCHER, H. Capacidade de acção – e em concreto. Exit!. 2018. Disponível em: http://www.obeco-online.org/herbert_bottcher2.htm Acessado em: 14 mar. 2019.
CABANES, R.; GEORGES, I.; RIZEK, C.; TELLES, V. Saídas de emergência: ganhar/perder a vida na periferia de São Paulo. São Paulo: Boitempo, 2011.
CASTRO, M. G.; ABRAMOVAY, M. Jovens em situação de pobreza, vulnerabilidades sociais e violências. Caderno de Pesquisas, n.116, p.143-176, 2002.
COMAROFF, J.; COMAROFF, J. Theory from the south: or how Euro-America is evolving toward Africa. Anthropological Forum, v.22, n.2, p.113-131, 2012.
CUNHA, E. Os sertões. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.
DEJOURS, C. Souffrance en France: la banalization de l’injustice sociale. Paris: Seuil, 1998.
ENZENSBERGER, H. M. Ziguezague: ensaios. Rio de Janeiro: Imago, 2003.
FISHER, M. Realism capitalism: is there no alternative? New York: Zero Books, 2009.
FREITAS, L. A instituição do fracasso: a educação da ralé. In: SOUZA, J. (Org.). A ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.
JAMESON, F. Representing Capital: a reading of volume one. Nova York: Verso Books, 2011.
JESUS, M. C. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Ática, 2006.
KOOLHAAS, R. Lagos: How it works, Nova York: Lars Müller Publishers, 2001.
KOSELLECK, R. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.
KOWARICK, L. Espoliação Urbana. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1980.
KURZ, R. A crise do valor de troca. Rio de Janeiro: Editora Consequência, 2018.
KURZ, R. Dinheiro sem valor: linhas gerais para uma transformação da crítica da economia política. Lisboa: Antígona, 2014.
KURZ, R. O colapso da modernização: da derrocada do socialismo de caserna à crise da economia mundial. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.
LAGO, L. Trabalho e moradia na periferia: para uma política urbana economicamente orientada. Revista em Pauta, v.6, n.24, p.31-47, 2009.
LEFEBVRE, H. Espaço e Política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016.
LORCHENKOV, V. The good life elsewhere. Nova York: New Vessel Press, 2003.
MARICATO, E. Metrópole na periferia do capitalismo. São Paulo: Hucitec/Série Estudos Urbanos, 1996.
MARX, K. Grundrisses. São Paulo: Boitempo, 2011.
MARX, K. O Capital. Livro I. São Paulo: Boitempo, 2013.
MBEMBE, A. Crítica da razão negra. São Paulo: n-1, 2019.
MENDONÇA, R. A medicalização de conflitos: consume de ansiolíticos e antidepressivos em grupos populares. Tese. (Doutorado). São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da USP, 2009.
MENEGAT, M. A crítica do capitalismo em tempos de catástrofe. Rio de Janeiro: Consequência, 2019.
OLIVEIRA, F. Crítica da Razão Dualista/O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.
POSTONE, M. Tempo, trabalho e dominação social. São Paulo: Boitempo, 2014.
ROY, A. Cidades faveladas: repensando o urbanismo subalterno. e-metropolis, n.31, ano 8, 2017, p. 6-21.
SANTOS, K. Uma nova pobreza urbana? A financeirização do consumo na periferia de São Paulo. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.16, n.1, p.153-167, 2014.
WACQUANT, L. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
ZIZEK, S. A coragem da desesperança. São Paulo: Zahar, 2019.

Downloads

Publicado

2019-12-06

Edição

Seção

GT-7: Produção do espaço urbano numa perspectiva crítica